Ciência e Tecnologia
06.08.2013

Testes não invasivos podem ser mais eficazes no combate ao câncer de cólon

Estudo realizado entre pacientes sem planos de saúde mostrou resultados superiores do FIT em relação à colonoscopia

Campanhas de conscientização poderiam aumentar substancialmente os registros do câncer colorectal entre os pacientes que não têm planos de saúde, afirma estudo publicado em 05 de agosto edição online do JAMA Internal Medicine. A pesquisa também sugere que uma abordagem de triagem não-invasiva, como um Teste Immunochemical Fecal (FIT) pode ser mais eficaz para salvar vidas do câncer do cólon entre as populações carentes do que uma colonoscopia, procedimento mais caro e invasivo.

O estudo liderado por Samir Gupta, da Universidade da California San Diego, analisou pacientes sem planos de saúde com idades de 54 a 64 anos. Este pacientes foram convidados a realizar a FIT sem custo, ou incentivados se submeter a uma colonoscopia, através de um convite enviado por correio para agendar o exame, também gratuitamente. Além disso, ambos os grupos receberam incentivos para promover a conclusão do teste.

O estudo mostrou que a adesão ao FIT triplicou, e a participação nos exames de colonoscopia dobrou num universo de quase 6 mil pacientes, quando comparado às estratégias de atenção usuais para exames colorretais. De acordo com Gupta, a diferença era muito maior do que o esperado, e as descobertas podem ter implicações para criação de novas políticas de saúde.

Ele observou que as descobertas levantam a possibilidade de que os esforços de larga escala de saúde pública para aumentar a triagem podem ser mais bem sucedidos se testes não-invasivos, como a FIT, forem mais divulgados que a colonoscopia.

Médicos não deveria necessariamente supor que o uso de colonoscopia seja a melhor e única forma de reduzir as taxas de câncer de cólon, disse Gupta. Devemos nos perguntar se este tipo de rastreio é mais aceitável para as populações carentes.

Agora, os cientistas estão analisando formas de manter a grande participação conseguida no grupo FIT, já que o teste deve ser repetido a cada ano, e como as altas taxas de adesão vão impactar na eficácia de triagem geral e nos custos.

Veja o abstract do estudo

Fonte: Isaude.net