Saúde Pública
29.07.2013

Simulado prepara profissinais de saúde para grandes eventos em Curitiba

O evento que simulou briga numa Fan Fest, com a participação de 250 pessoas, é parte dos preparativos para a Copa do Mundo

Foto: Jaelson Lucas/SES
Secretária Municipal de Saúde realiza simulação de atendimento de acidentes com múltiplas vítimas
Secretária Municipal de Saúde realiza simulação de atendimento de acidentes com múltiplas vítimas

Uma simulação de atendimento médico a múltiplas vítimas feridas, que envolveu 250 pessoas, foi realizada na tarde deste sábado (27), no Parque Barigui, com a participação de profissionais das áreas da saúde e da Defesa Civil de Curitiba.

O treinamento teve como objetivo capacitar profissionais ligados ao atendimento de urgência e emergência (equipes do Samu e Siate) para saber como agir em caso de incidentes em eventos de grande porte, como a Copa do Mundo. Não por acaso, o exercício de treinamento foi realizado no Parque Barigui, local que vai abrigar em junho de 2014 a Fan Fest evento da FIFA para integração de torcedores e com estimativa de público entre 20 mil a 30 mil pessoas.

O simulado representou a parte prática de um curso aplicado pela Secretaria Municipal de Saúde com foco no controle de incidentes. Durante dois dias (25 e 26 de julho), médicos socorristas, enfermeiros, técnicos de enfermagem receberam orientações teóricas em aulas ministradas no auditório do Hospital do Idoso Zilda Arns. "É um trabalho de capacitação visando a Copa do Mundo, mas que serve para qualquer grande evento que a cidade venha a receber. Para estarmos bem preparados e prestar bom atendimento é necessário treinamento" , avaliou o diretor geral do Sistema de Urgência e Emergência de Curitiba, Alan Cesar Diório.

Para o treinamento, foi simulada uma briga durante a realização da Fan Fest, no Parque Barigui, que resultava em mais de uma centena de feridos. A situação exige atuação rápida e eficiente dos Serviços de Atendimento Médico de Urgência e Emergência de Curitiba (Samu e Siate). É neste cenário que os profissionais da saúde são exigidos para demonstrar na prática aquilo que aprenderam na teoria.

Seguindo protocolos de atendimento médico, os figurantes (acadêmicos da área de saúde devidamente caracterizados com ferimentos e cortes) são transportados em macas pelos socorristas até um ponto de triagem, onde são avaliados. " Pode parecer desorganizado num primeiro momento, mas há toda uma dinâmica" , afirma Diorio. Segundo ele, os atendimentos são divididos em níveis de prioridade (vermelho, amarelo, verde e preto) e as vítimas são atendidas observando protocolos pré-estabelecidos.

Planejamento é palavra-chave no sistema de controle de incidentes. " Há todo um plano de ação que inclui a análise da região onde o evento ocorre, passando por questões de logística. Baseado nestas informações, estabelecemos uma série de ações: o atendimento às múltiplas vítimas, as áreas de espera com logística para que o atendimento ocorra e, logicamente, o deslocamento dessas vítimas até um hospital" , explica Diorio.

Fonte: Isaude.net