Ciência e Tecnologia
20.07.2013

Vacina contra HPV pode proteger mulheres contra o câncer de garganta

O novo estudo reduziu em até 90% as infecções orais por HPV, indicando ainda a necessidade de vacinação de meninos

Fotos: ASCOM/SESAU/AL
Técnica manusei vacina em unidade de Saúde. Novos resultados podem tornar vacinação de meninos uma importante medida de saúde pública
Técnica manusei vacina em unidade de Saúde. Novos resultados podem tornar vacinação de meninos uma importante medida de saúde pública

Um novo estudo da Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (IARC), em parceria com pesquisadores da Costa Rica e Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI), mostrou, pela primeira vez, que a vacina contra o Papilomavírus vírus humano (HPV) dos tipos 16 e 18, usada para prevenir o câncer do colo do útero, também proporciona uma " forte proteção" contra infecções orais associadas aos cânceres da orofaringe e amígdalas.

O estudo, realizado na Costa Rica foi inicialmente concebido para avaliar a eficácia da vacina contra o câncer cervical. Mais tarde, incluíram a avaliação da eficácia em outros locais anatômicos, incluindo a cavidade oral, onde a pesquisa registrou uma redução das infecções orais com HPV 16 e 18 em mais de 90%.

Entre os anos de 2004 e 2005, um total de 7.4 mil mulheres saudáveis com idades entre 18 e 25 anos receberam a vacina HPV16/18 ou vacina contra hepatite A como controle. Os resultados mostraram que a vacina HPV16/18 reduziu em 93% a prevalência das infecções orais HPV16/18 4 anos após a vacinação.

O número estimado de novos casos de câncer de orofaringe (incluindo as amígdalas e a base da língua) é de cerca de 85 mil por ano, em ambos os sexos em todo o mundo, e os homens são quatro vezes mais propensos que mulheres a serem afetados. No entanto, a incidência de câncer de orofaringe aumentou significativamente nos últimos anos nos EUA e na Europa, particularmente entre os jovens.

O HPV é mais conhecido por causar câncer de colo do útero, que é o terceiro câncer mais comum em mulheres no mundo, com cerca de 530 mil novos casos e 275 mil mortes em 2008. Os tipo 16 e 18 estão também associados a uma variedade de cânceres como câncer de vulva, vagina, ânus, pênis e orofaringe.

Sexo oral

A maioria dos cânceres de orofaringe têm sido tradicionalmente ligada ao tabaco e consumo excessivo de álcool, mas 30% dos cânceres de orofaringe em todo o mundo são relacionados à infecção pelo HPV, lligada à práticas sexuais, como sexo oral.

Um estudo recente nos EUA mostrou que, nos últimos 20 anos, a taxa de detecção de HPV em amostras de tumores de orofaringe aumentou de 16% para 70%, levando os autores que estudam s postular que nas próximas décadas, nos EUA, pode haver mais casos de câncer de orofaringe do que de câncer cervical relacionados ao HPV.

Os resultados do nosso estudo demonstrou a eficácia da vacina na proteção da infecção oral por HPV em mulheres. Se resultados similares são observadas em homens, a vacinação dos meninos pode se tornar uma importante medida de saúde pública em áreas onde os cânceres de orofaringe relacionados ao HPV são relativamente comuns em homens, Rolando Herrero, pesquisador da IARC.

Fonte: