Saúde Pública
10.07.2013

Pernambuco é primeiro estado a receber Capacitação de Cuidados Paliativos

O curso é realizado à distância e tera duração de 10 meses. Profissionais de seis municipios participaram desta edição

Foto: SES/PE
Curso Capacitação em Cuidados Paliativos reuniu 150 profissionais que atuam na rede de atenção básica, domiciliar, hospitais e serviços de referência na área
Curso Capacitação em Cuidados Paliativos reuniu 150 profissionais que atuam na rede de atenção básica, domiciliar, hospitais e serviços de referência na área

O primeiro Estado do País a receber o curso Capacitação em Cuidados Paliativos, promovido pelo Ministério da Saúde em parceria com Hospital Samaritano (São Paulo) e Secretaria Estadual de Saúde (SES), Pernambuco reuniu 150 profissionais que atuam na rede de atenção básica, domiciliar, hospitais e serviços de referência na área.

Os participantes, de seis municípios pernambucanos (Recife, Olinda, Cabo de Santo Agostinho, Abreu e Lima, Vitória de Santo Antão e Caruaru), foram recebidos no auditório do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), para aula inaugural e início da atualização profissional. Apenas três turmas serão formadas no Brasil.

De acordo com a técnica do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Alyne Melo, o curso à distância, financiado pelo órgão federal e com duração de dez meses, tem como foco qualificar os profissionais a fim de se construir uma rede de cuidados em atenção paliativa no Estado.

Segundo o superintendente de Responsabilidade Social do Hospital Samaritano, Luiz Maria Ramos, a instituição filantrópica é reconhecida pela expertise no tema e qualificado pelo MS como hospital de excelência. " Temos 25 projetos em apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS), que transferem tecnologia, capacitam profissionais e qualificam a gestão e assistência de serviços públicos e filantrópicos em todo o País" , afirma.

" Nossa população está envelhecendo. Hoje, nossa realidade nos apresenta uma maior quantidade de pacientes com doenças que chamamos limitadoras da vida. É imprescindível saber que existe toda uma linha de cuidado específica e apropriada para esses doentes. É um trabalho multiprofissional e que a base está na atenção básica da rede" , comenta o coordenador do Programa de Educação à Distância para Atenção Básica em Cuidados Paliativos, Henrique Parsons.

Com informações da SES Pernambuco

Fonte: Isaude.net