Geral
19.06.2013

Extrato vegetal aumenta expectativa de vida da mosca da fruta em quase 25%

Rhodiola rosea promove a longevidade de forma independente da restrição dietética e pode agir no organismo humano

Foto: UCI
Rhodiola rosea é usada há séculos pelos escandinavos e russos para reduzir o stress.
Rhodiola rosea é usada há séculos pelos escandinavos e russos para reduzir o stress.

O extrato vegetal de uma planta de flor amarela muito utilizada para aliviar o estresse aumentou o tempo de vida da mosca de fruta em uma média de 24%, de acordo com pesquisadores da University of California em Irvine, nos EUA.

A pesquisa revela que a planta Rhodiola rosea, também conhecida como raiz de ouro, funciona de uma maneira completamente alheia à restrição dietética e afeta diferentes vias moleculares.

"Isso é significativo, pois a restrição alimentar é considerada o método mais robusto de melhorar a expectativa de vida em animais de laboratório, e os cientistas vêm lutando para identificar compostos que podem imitar seus efeitos. Descobrimos que a Rhodiola realmente aumenta expectativa de vida separadamente da restrição alimentar. Isso demonstra que Rhodiola pode agir mesmo em pessoas que já têm uma vida longa e saudável. Isso é muito diferente do resveratrol, que parece só agir em indivíduos superalimentados ou insalubres", afirma o líder da pesquisa Mahtab Jafari.

Os pesquisadores provaram isso colocando moscas em uma dieta de restrição calórica. Tem sido demonstrado que as moscas vivem mais tempo quando a quantidade de leveduras que consomem é diminuída. Jafari e seus colegas supuseram que se Rhodiola funcionasse da mesma maneira da restrição dietética, não iria funcionar nestas moscas. Mas ela funcionou.

Eles também testaram Rhodiola em moscas cujas vias moleculares da restrição dietética tinham sido geneticamente inativadas. O extrato da planta ainda assim funcionou.

Segundo os pesquisadores, Rhodiola não só melhorou a vida útil média em 24% em ambos os sexos e várias cepas de moscas, mas também retardou a perda de desempenho físico em moscas à medida que envelheciam e estendeu a vida das moscas velhas.

Jafari e seus colegas não estão afirmando que os suplementos de Rhodiola permitirão que os seres humanos vivam mais tempo, mas sua descoberta reforça a compreensão científica de como suplementos ligados à promoção da longevidade realmente funcionam no corpo.

A equipe está investigando o potencial da planta para matar células cancerosas, melhorar a doença de Alzheimer e ajudar células-tronco a crescer.

Fonte: Isaude.net