Geral
17.06.2013

Equipe britânica descobre mecanismo que leva o câncer a se espalhar

Estudo sugere que células doentes e saudáveis seguem umas às outras ao redor do corpo, causando metástase

Foto: Theveneau and Mayor/University College London
Projeção mostra a migração coordenada das células da crista neural (azul) e placódios (magenta)
Projeção mostra a migração coordenada das células da crista neural (azul) e placódios (magenta)

Cientistas da University College London, no Reino Unido, acreditam ter descoberto por que o câncer se espalha pelo organismo. O achado pode ser vital no desenvolvimento de uma cura para a doença.

Em um avanço que poderia salvar milhões de vidas, a equipe identificou um mecanismo conhecido como efeito "perseguição e fuga", onde as células doentes e saudáveis seguem umas às outras ao redor do corpo.

A descoberta pode levar a uma terapia revolucionária capaz de bloquear essa ação e manter os tumores em um só lugar.

Os resultados foram publicados na revista Nature Cell Biology.

A equipe usou dois tipos de células embrionárias para simular as funções de células cancerosas e saudáveis. A chave para os resultados foi determinar por que as células cancerosas se ligam a células saudáveis em primeiro lugar.

Os cientistas imitaram o que acontece usando tipos comparáveis de células e observando seu comportamento.

Os pesquisadores, que conduziram o estudo usando sapo e embriões de zebrafish, estão confiantes de que o processo no qual as células cancerosas se anexam às saudáveis, a fim de migrar por todo o corpo funciona de forma similar.

"Nós usamos a analogia do burro e da cenoura para explicar esse comportamento: o burro segue a cenoura, mas a cenoura se afasta quando é abordada pelo burro. Da mesma forma, as células cancerosas seguem as células saudáveis, que fogem quando tocadas pelas células cancerosas. Os resultados sugerem uma maneira alternativa em que os tratamentos de câncer podem funcionar no futuro, se as terapias puderem ser direcionadas para o processo de interação entre células malignas e saudáveis para impedir que as células cancerosas se espalhem e causem tumores secundários", afirma o principal autor da pesquisa Roberto Mayor.

Fonte: Isaude.net