Ciência e Tecnologia
15.06.2013

Estudo coloca em xeque a "teoria da avó". Homens seriam culpados pela menopausa

Preferência masculina por mulheres mais jovens seria responsável pela mutação genética que causou a perda da fertilidade feminina

Ilustração: M. Belan/MacMaster University
Parte do ilustração que mostra a evolução da mulheres com base em sua condição reprodutiva
Parte do ilustração que mostra a evolução da mulheres com base em sua condição reprodutiva

Uma nova explicação para a origem da menopausa pode mudar a forma como a ciência entende a evolução da espécie humana. Pelo novo estudo, as preferências masculinas passam as ser responsávis pelas mudanças que levaram à perda da fertilidade das mulheres mais velhas.

O lider da pesquisa, Rama Singh, da Universidade McMaster, em Ontário, é responsável por um longo estudo de como o comportamento de acasalamento pode ter afetado a fertilidade feminina. Para comprovar as teorias, sua equipe criou simulações de computador mostrando as evoluções da raça humana. Quando foram introduzidas as preferências de acasalamento masculina por mulheres mais jovens, um processo de seleção natural causou mutações específicas que levaram o sexo feminino a ter fertilidade diminuída no final da vida.

Uma das comprovações apresentadas no estudo é que quando se inverte a matriz de acasalamento inserindo a preferência feminina por homens mais jovens, o novo cenário mostra fêmeas mais jovens competindo com as mais velhas para o acesso aos machos.

Um dos grandes diferenciais da nova explicação é ser uma característica não-adaptativa, ao contrário da a "teoria da avó", colocada em xeque com este estudo. Uma das teorias mais aceitas para o fenômeno da menopausa, até agora, a "teria da avó" afirma que a origem da menopausa vem da necessidade das fêmeas ajudarem na perpetuação da espécie auxiliando na criação dos filhos de seus filhos. "Ajudar as filhas na criação do seus filhos, presumivelmente, representaria um custo duas vezes maior para a menopausa, mas os dados que foram coletados para testar esta hipótese são inconclusivos," afirmam os pesquisadores.

O estudo foi publicado na revista PLOS Computational Biology

Fonte: Isaude.net