Geral
15.06.2013

Medicamento reverte doença cardíaca relacionada à idade em três meses

Rapamicina diminuiu tamanho do coração e reduziu sinalização do estresse nos tecidos cardíacos de ratos idosos tratados

Camundongos idosos que sofrem de doença cardíaca relacionada com a idade apresentaram uma melhora significativa na função cardíaca após o tratamento com a droga rapamicina em apenas três meses, de acordo com pesquisadores do Buck Institute for Research on Aging, nos EUA.

A pesquisa mostra como a rapamicina afeta os tecidos dos mamíferos, aumentando a compreensão de um medicamento que tem sido usado para estender o tempo de vida de ratos, tanto quanto 14%.

Os resultados aparecem na revista Aging Cell.

A rapamicina é um fármaco imunossupressor, que pode ser usado para ajudar a prevenir a rejeição de órgãos após transplante. Também está incluído nos esquemas de tratamento para alguns tipos de câncer.

No estudo atual, a rapamicina foi adicionada às dietas de camundongos que tinham 24 meses de idade, o equivalente humano de 70 a 75 anos de idade. Semelhantes aos seres humanos, os ratos envelhecidos tinham corações ampliados, um espessamento geral da parede do coração e uma eficiência reduzida na capacidade do coração em bombear sangue.

Os ratos foram examinados com ecocardiografia antes e após o período de tratamento de três meses.

O autor da pesquisa Simon Melov afirma que a disfunção cardíaca relacionada com a idade ou foi retardada ou revertida nos ratos tratados. Quando se mediu a eficácia da forma como o coração bombeia o sangue, os ratos tratados apresentaram uma melhoria notável. Em contraste, os ratos não tratados viram um declínio geral na eficiência de bombeamento no final do mesmo período de três meses.

Segundo Melov, este estudo fornece a primeira evidência de que a disfunção cardíaca relacionada com a idade pode ser melhorada, mesmo no fim da vida, através do tratamento medicamentoso apropriado.

Os camundongos tratados viram uma redução no tamanho do coração, redução da sinalização do estresse em tecidos do coração e uma redução na inflamação.

Fonte: Isaude.net