Ciência e Tecnologia
11.06.2013

Novo método determina graus de consciência em pacientes em coma

Resistência a abrir os olhos em pessoas em estado vegetativo persistente é um sinal de consciência gradual, indica estudo

Foto: Université de Liège
Steven Laureys, líder da pesquisa
Steven Laureys, líder da pesquisa

Novo método desenvolvido por uma equipe de pesquisadores da Universidade de Liège, na Bélgica, determina graus de consciência em pacientes em coma.

A pesquisa sugere que a resistência a abrir os olhos em pacientes em estado vegetativo persistente é um sinal de consciência gradual.

Mesmo os peritos podem ter dificuldade em determinar o grau de consciência de pacientes com lesões crânio-cerebrais graves. A maior vantagem da técnica é que ela é adequada para o uso diário, de acordo com os cientistas.

O estudo foi divulgado na 23rd Meeting of the European Neurological Society (ENS).

Muitas pessoas com distúrbios da consciência podem resistir a ter seus olhos abertos por alguém. Em seu estudo, Steven Laureys e seus colegas investigaram se a resistência em pacientes em coma representa um reflexo como as pálpebras se fechando quando superestimuladas ou se é um sinal de defesa deliberada e, portanto, uma indicação de consciência.

Para isto, a resistência à abertura do olho foi avaliada por uma semana de cada vez em 108 pacientes durante um período de 28 meses. Os reflexos da córnea e sobrancelhas franzidas foram notados em quase todos os participantes do estudo, mas apenas 22 foram identificados como apresentando resistência a abrir os olhos (REO).

A equipe concluiu que a maioria dos pacientes que apresenta resistência a abrir os olhos está em um estado vegetativo persistente ou em um estado de consciência mínima. Após verificações repetidas, descobriu-se que tinham um nível mais alto de consciência do que inicialmente previsto.

É altamente improvável que a resistência a abrir os olhos seja estritamente um mecanismo de reflexo. Parece muito mais provável que seja um sinal de que o comando está sendo executado. Se um paciente apresenta resistência a abrir os olhos em mais de metade dos exames, há boas chances de que ele ou ela pode seguir certos comandos, de acordo com os pesquisadores.

Laureys exige avaliações repetidas de pacientes individuais, observando que o nível de consciência flutua na maioria dos pacientes.

Segundo Laureys, a questão de saber o que ainda mais REO poderia indicar não pode ser suficientemente respondida a partir da perspectiva de hoje. "Com os pacientes que apresentam essa forma de resistência é preciso urgentemente verificar se eles estão recebendo tratamento adequado, incluindo terapia para dor ou se estão sendo emocionalmente negligenciados", afirma o pesquisador.;

A resistência a abrir os olhos pode ser um critério de simples observação para o pessoal da família e os enfermeiros.

Fonte: Isaude.net