Geral
30.05.2013

Medicamento impede danos aos tecidos após ataque cardíaco e AVC

Droga protege tecido da lesão de reperfusão, que ocorre quando fluxo sanguíneo é restaurado subitamente após período sem oxigênio

Cientistas liderados pelo Medical Research Council (MRC) e a Universidade de Cambridge, no Reino Unido, desenvolveram um novo medicamento capaz de ajudar a reduzir o dano aos tecidos que ocorrem após um ataque cardíaco, acidente vascular cerebral ou cirurgia.

Testes em ratos mostraram que o composto, denominado MitoSNO, protege o tecido do coração de lesões de reperfusão, que ocorrem quando o fluxo sanguíneo é restaurado subitamente após um período prolongado sem oxigênio.

A pesquisa foi publicada na revista Nature Medicine.

Todas as pessoas que sofrem um ataque cardíaco sentem a lesão de reperfusão. Durante um ataque do coração, os grandes vasos que irrigam o coração com sangue ficam bloqueados, impedindo que o oxigênio atinja uma área do tecido cardíaco. Quando o paciente chega ao hospital, médicos removem o bloqueio usando medicamentos ou cirurgia e restauram o fluxo sanguíneo para o coração.

Nesta fase, alguns danos já ocorreram ao tecido que ficou sem oxigênio. Mas a maioria dos danos realmente acontece quando o suprimento de sangue é reestabelecido, de repente, provocando a produção de moléculas prejudiciais, chamadas de radicais livres, nas mitocôndrias.

MitoSNO funciona 'desligando' brevemente a mitocôndria nos primeiros minutos após o fluxo de sangue ser devolvido para evitar um acúmulo de radicais livres que podem matar células do coração.

Para alcançar este objetivo, MitoSNO foi concebido para se acumular no interior das mitocôndrias do coração rapidamente após sua injeção no sangue.

"MitoSNO efetivamente desliga um interruptor na mitocôndria, diminuindo a reativação durante os primeiros minutos críticos quando o fluxo de sangue retorna e proteger o tecido do coração de mais danos. Acreditamos que um processo semelhante acontece em outras situações em que o tecido é privado de oxigênio por um período prolongado, por exemplo, após um acidente vascular cerebral ou durante a cirurgia, onde as principais artérias são presas para evitar a perda de sangue. Estamos esperançosos de que, se os testes em humanos de MitoSNO forem bem sucedidos, eventualmente, a droga poderia ser usada em muitas outras áreas da medicina", afirma o líder do estudo Mike Murphy.

A equipe testou MitoSNO em um modelo de rato de ataque cardíaco. MitoSNO foi dado aos animais por injeção imediatamente antes do reestabelecimento do fluxo de sangue para o coração. A área de tecido danificado do coração foi reduzida nos ratos que tinham recebido MitoSNO comparados com os animais de controle, mostrando que MitoSNO evita morte celular durante a reperfusão, de acordo com os pesquisadores.

Os pesquisadores agora esperam assegurar o financiamento para testar o novo composto em estudos humanos.

Fonte: Isaude.net