Ciência e Tecnologia
30.05.2013

Superfícies revestidas com cobre impedem transmissão do norovírus

Maçanetas e torneiras feitas com ligas do metal interrompem ciclo do vírus e diminuem risco de surtos em hospitais e cruzeiros

Foto: University of Southampton
Professor Bill Keevil, líder da pesquisa
Professor Bill Keevil, líder da pesquisa

Cientistas da Universidade de Southampton, no Reino Unido, demonstraram que revestir superfícies com ligas de cobre pode destruir rapidamente o norovírus em ambientes de alto risco.

O vírus, que causa doenças altamente infecciosas, pode ser contraído a partir de alimentos ou água contaminados, contato pessoa-a-pessoa e contato com superfícies contaminadas, ou seja, superfícies revestidas de cobre poderia efetivamente impedir a propagação da infecção.

Em todo o mundo, o norovírus é responsável por mais de 267 milhões de casos de gastroenterite aguda por ano. Não há tratamento ou vacina específica, e surtos fecham regularmente enfermarias e centros de saúde, necessitando de limpeza profunda.

O impacto também é sentido além da saúde, em navios de cruzeiros e hotéis que sofrem danos significativos à sua reputação quando epidemias ocorrem entre os hóspedes.

Agora, Bill Keevil e sues colegas mostraram que o norovírus pode ser rapidamente destruído quando entra em contato com cobre e suas ligas, com aquelas contendo mais do que 60% de cobre revelando-se particularmente eficazes.

O modelo de contaminação usado foi projetado para simular a contaminação por meio do toque em superfícies.

"As superfícies feitas de ligas de cobre podem ser empregadas em áreas de alto risco, tais como navios de cruzeiro e centros de cuidados, onde surtos de norovírus são difíceis de controlar, porque as pessoas infectadas não ajudam e contaminam o meio ambiente com vômitos e diarreia", afirma Keevil.

O vírus infeccioso pode permanecer em superfícies sólidas e também é resistente a vários produtos de limpeza. Isso significa que ele pode se espalhar para as pessoas que tocam essas superfícies, causando novas infecções e mantendo o ciclo de infecção. "Superfícies de cobre, como maçanetas e torneiras, pode interromper o ciclo e diminuir o risco de surtos", conclui o pesquisador.

O trabalho foi divulgado na .

Fonte: Isaude.net