Saúde Pública
27.05.2013

Ministério da Saúde envia 1 milhão de caixas de Tamiflu aos estados

Alexandre Padilha quer que os estados e municípios facilitem o acesso do medicamento de combate a gripe à população

Foto: Ruben Silva / MS
Estados e municipios devem facilitar acesso ao Tamiflu, afirma ministro
Estados e municipios devem facilitar acesso ao Tamiflu, afirma ministro

O Ministério da Saúde informou, nesta segunda-feira (27), que está enviando caixas do medicamento Tamiflu para garantir a disponibilidade nos estoques de todo o país. Até o momento, 1 milhão de caixas foram enviadas. O Tamiflu, cujo princípio ativo é o fosfato de oseltamivir, é usado para combater a gripe.

Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, os estados e municípios devem facilitar o acesso do medicamento à população. Ele recomendou a disponibilização do Tamiflu nas unidades de saúde, nas unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e nos prontos-socorros. Tais recomendações vão ao encontro do disposto no Protocolo de Tratamento de Influenza 2013, elaborado pelo próprio ministério, que indica a prescrição e facilidade no acesso ao medicamento.

Ainda de acordo com o ministério, os estoques, antes mesmo do envio, eram 720.280 caixas para adultos e 87.666 para uso pediátrico. São dez comprimidos por caixa, que seriam suficientes para completar um tratamento. Para obter o medicamento, o paciente deve apresentar a receita médica, que pode ser da rede pública ou da rede privada de saúde.

O ministério recomenda a ingestão do Tamiflu, preferencialmente, nas primeiras 48 horas do surgimento da doença em sua forma grave. Esse período é indicado para obtenção de um melhor resultado, mas o órgão também indica o medicamento após essas primeiras horas. Os sintomas da gripe são febre, tosse ou dor na garganta, dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. A forma grave da doença é caracterizada por febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, prostração, dor muscular intensa e abatimento.

Segundo a nota, " todas as pessoas integrantes dos grupos que tenham condição ou fator de risco e que apresentem sintomas de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave - como crianças menores de 2 anos, gestantes, puérperas, indígenas, idosos, obesos e doentes crônicos - devem tomar o medicamento mesmo que não ocorra o agravamento da doença" . As gestantes precisam ter uma atenção especial, sendo necessário tomar o Tamiflu em até 48 horas, mesmo que tenham sido vacinadas e que a forma grave da doença ainda não tenha se manifestado.

A prevenção é baseada em hábitos simples, como lavar bem e com frequência as mãos com água e sabão, evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies, não compartilhar objetos de uso pessoal e cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL