Ciência e Tecnologia
26.05.2013

Compostos interrompem comunicação bacteriana para conter infecção

Agentes alteram moléculas nativas que a bactéria S. aureus usa para se comunicar e ativar os genes que causam a doença

Equipe de cientistas da University of Wisconsin-Madison, nos EUA, sintetizou uma nova classe potente de compostos capaz de conter as bactérias que causam infecções por estafilococos.

Os agentes interferem com um mecanismo de comunicação chamado "quorum sensing" da bactéria Staphylococcus aureus, que causa infecções em humanos que vão desde acne a condições como pneumonia e sepse.

"É um mundo totalmente novo para nós", afirma a líder da pesquisa Helen Blackwell, cujo grupo identificou moléculas de sinalização baseadas em peptídeos que efetivamente altera as moléculas nativas que a bactéria usa para se comunicar e ativar os genes que causam a doença.

As bactérias usam quorum sensing para avaliar sua densidade populacional e coordenar determinados comportamentos. Elas fazem isso mediante a utilização de produtos químicos como feromônios, que se ligam aos receptores ou na célula bacteriana, ou sobre sua superfície e dizem se há um número suficiente de bactérias em torno para ligar genes que desempenham certas funções. No caso da Staphylococcus aureus, o quorum sensing ativa a produção de toxina, manifestando doença no hospedeiro.

Os novos compostos sintetizados por Blackwell e seus colegas são peptídeos que funcionam em concentrações muito baixas, bloqueando os receptores químicos que a bactéria usa para regular o quorum sensing.

Os novos agentes trabalham sobre os quatro subtipos de estafilococos, os quais utilizam diferentes sinais de detecção de quorum sensing e são encontrados em diferentes tipos de infecção. "O impacto desses novos peptídeos pode ser significativo porque estafilococo é um patógeno importante e cada vez mais assustador", conclui Blackwell.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net