Geral
19.04.2013

Vírus respiratório grave pode ser transferido durante a gravidez para o feto

Estudo desafia paradigma de que infecção por RSV é adquirida apenas após o nascimento e alerta para efeito pré-natal do vírus

Foto: Walter Zerla/Foto Stock
Pesquisa indica que o RSV é capaz de se espalhar através da placenta a partir do trato respiratório da mãe para o feto
Pesquisa indica que o RSV é capaz de se espalhar através da placenta a partir do trato respiratório da mãe para o feto

A causa mais comum de infecções do trato respiratório inferior em lactentes e crianças pequenas, o vírus sincicial respiratório (RSV), pode ser transferido durante a gravidez para o feto. É o que mostra pesquisa realizada no Cleveland Clinic Children's Hospital, nos EUA.

A pesquisa indica que, em modelos animais, o RSV é capaz de se espalhar através da placenta a partir do trato respiratório da mãe para o feto, e está presente no pulmão após o nascimento, ao longo do desenvolvimento e na vida adulta.

RSV é considerada a principal causa de pneumonia infantil e tem sido implicado no desenvolvimento de asma.

"Evidências epidemiológicas sugerem que a infecção por RSV no início de vida predispõe as crianças a sibilância recorrente e asma. Este estudo desafia o paradigma atual que a infecção por RSV é adquirida apenas após o nascimento e desloca a atenção para o efeito pré-natal do vírus, que pode resultar em consequências mais graves e duradouras, por interferir com os processos críticos de desenvolvimento de um feto", afirma o principal autor da pesquisa Giovanni Piedimonte.

Para o estudo, a equipe utilizou um modelo animal, em que os ratos foram inoculados com o RSV durante a gravidez intercalar.

Daqueles animais infectados, RSV foi encontrado em 30% dos fetos, assim como nos pulmões de 40% dos recém-nascidos e 25% dos animais que atingiram a idade adulta.

A pesquisa foi publicada na revista PLoS ONE.

Fonte: Isaude.net