Saúde Pública
15.04.2013

Análise genética demonstra que vírus H7N9 está se adaptando às células humanas

Pesquisa aumenta a preocupação sobre o potencial do vírus para desencadear uma nova pandemia global de gripe

Foto: Bryce Richter/UW-Madison
Yoshihiro Kawaoka, líder da pesquisa
Yoshihiro Kawaoka, líder da pesquisa

Uma análise genética do vírus da gripe aviária responsável por pelo menos 13 mortes na China demonstrou que o H7N9 está evoluindo para se adaptar às células humanas.

A pesquisa aumenta a preocupação sobre seu potencial para desencadear uma nova pandemia global de gripe.

O estudo colaborativo, conduzido por um grupo liderado por Masato Tashiro do Influenza Virus Research Center e do National Institute of Infectious Diseases e por Yoshihiro Kawaoka da University of Wisconsin-Madison, aparece no Eurosurveillance Journal.

O grupo analisou as sequências genéticas do H7N9 isolado de quatro das vítimas humanas do patógeno, bem como amostras derivadas de aves e dos arredores de um mercado de Xangai.

"As amostras isoladas de humanos, mas não das aves e do ambiente, têm uma mutação da proteína que permite o crescimento eficiente em células humanas, e que também permite que cresçam a uma temperatura que corresponde ao trato respiratório superior de humanos, o que é inferior ao que encontramos em aves", afirma Kawaoka, um dos principais especialistas sobre gripe aviária.

As descobertas, elaboradas a partir de sequências genéticas depositadas por pesquisadores chineses em um banco de dados internacional, fornece algumas das primeiras pistas moleculares sobre a nova cepa preocupante da gripe aviária. Os primeiros casos humanos foram notificados em 31 de março pelo Centro Chinês para o Controle de Doenças e Prevenção. Até agora, o novo vírus já infectou pelo menos 60 pessoas, matando 13.

"Embora seja muito cedo para prever o potencial de causar uma pandemia, os sinais de que o vírus está se adaptando aos mamíferos e, em particular, hospedeiros humanos são inconfundíveis", destaca Kawaoka.

Segundo os pesquisadores, o acesso à informação genética do vírus é necessária para a compreensão de como o vírus evolui e para o desenvolvimento de uma vacina candidata para prevenir a infecção.

Vírus da influenza depende de sua capacidade de juntar-se e comandar as células vivas do seu hospedeiro para se replicar e se espalhar de forma eficiente. Gripe aviária raramente infecta seres humanos, mas às vezes pode se adaptar às pessoas, o que representa um risco significativo para a saúde humana.

"Estes vírus possuem várias características do vírus da gripe de mamíferos, o que provavelmente contribui para a sua capacidade de infectar os seres humanos e aumentar as preocupações quanto ao seu potencial de pandemia", conclui Kawaoka.

Fonte: Isaude.net