Geral
09.04.2013

Mais de um quarto dos sobreviventes de melanoma nunca usam protetor solar

Resultados revelam ainda que mais de 2% usam bronzeamento artificial, embora maioria tome mais precauções para se proteger do sol

Foto: Romero Mendonça/Secom-ES
Sobreviventes de melanoma se protegem melhor do sol do que o público em geral
Sobreviventes de melanoma se protegem melhor do sol do que o público em geral

Mais de um quarto dos sobreviventes de melanoma nunca usam protetor solar. É o que mostra estudo realizado por pesquisadores da Yale School of Medicine, nos EUA.

Os resultados revelam ainda que mais de 2% dos sobreviventes do câncer de pele usam bronzeamento artificial, embora a maioria tome mais precauções para proteger a pele do sol do que o público em geral.

O estudo foi apresentado na AACR Annual Meeting 2013.

"Nós sabemos que o melanoma é um tumor maligno prevalente na nossa população, e nós sabemos que para muitas pessoas com melanoma, a exposição ao sol é um importante fator de risco para a recorrência e a proteção solar pode reduzir suas chances de melanoma de novo. Embora tenhamos encontrado que os sobreviventes de melanoma se protegem melhor do sol do que o público em geral, também descobrimos que mais de um quarto dos sobreviventes de melanoma nunca usam protetor solar", afirma a pesquisadora Anees B. Chagpar.

Chagpar e seus colegas avaliaram dados de participantes da 2010 National Health Interview Survey, nos Estados Unidos, sobre uma ampla gama de temas de saúde.

Eles se concentraram em dados coletados sobre o auto relato do histórico de melanoma, as práticas de proteção solar e bronzeamento artificial.

De 27.120 adultos, 171 tinham antecedentes de melanoma. Os pesquisadores descobriram que, em comparação com aqueles indivíduos que não relataram histórico de melanoma, os sobreviventes eram mais propensos a ficar na sombra (15,6% versus 10,5% da população geral) e usar um boné / viseira (31,3% versus 18,4%), de usar chapéu de abas largas (20,5% versus 6,1%) e / ou blusas de mangas compridas (12% versus 5,2%), quando saíam em um dia quente e ensolarado durante mais de uma hora.

Segundo os pesquisadores, os sobreviventes também eram mais propensos a usar sempre protetor solar (32% contra 17,2%).

No entanto, 15,4% dos sobreviventes de melanoma ainda afirmaram raramente ou nunca ficar na sombra, 27,3% disseram não usar protetor solar quando saem em um dia quente e ensolarado durante mais de uma hora, e 2,1% relataram o uso de uma bronzeamento artificial durante o ano anterior (em comparação com 5,5% da população geral).

"Nós agora sabemos que uma proporção significativa de sobreviventes de melanoma ainda poderiam se proteger melhor. Este estudo fala o que poderíamos fazer para educar os sobreviventes da doença sobre como prevenir a recorrência", conclui Chagpar.

Fonte: Isaude.net