Saúde Pública
07.04.2013

Protesto paraliza 245 hospitais filantrópicos no Rio Grande do Sul

Votada neste sábado, a ação tem como objetivo um reajuste de 100% na tabela do SUS. Cerca de 800 cirurgias devem ser suspensas

Os hospitais filantrópicos do Rio Grande do Sul aprovaram paralização para esta segunda-feira (8). O objetivo é pressionar o governo a reajustar a tabela de repasses do SUS.

De acordo com a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do Rio Grande do Sul, o protesto deve atingir 245 unidades, responsáveis por mais de 75% dos atendimentos do SUS à população no estado.

Pelos cálculos dos representantes da Federação, cerca de 800 cirurgias eletivas devem ser suspensas.

A decisão foi tomado em encontro realizado no Minstério Público, neste sábado (6), em Porto Alegre.

Os hospitais pedem um reajuste de 100% no valor pago pelo SUS para procedimentos de baixa e média complexidade. A maior parte dos atendimentos.

Atualmente, de cada R$ 100 gastos com os pacientes, o SUS repassa R$ 65.

O Movimento Nacional Tabela SUS Reajuste Já, teve encontro regional (Rio Grande do Sul e Santa Catarina), na última semana de abril, em Porto Alegre. Segundo a Federação, mais de 600 pessoas reivindicaram o reajuste.

O Presidente da Julio Dornelles de Matos, informou que a dívida acumulada do SUS com os hospitais filantrópicos deve atingir os R$ 17 bilhões neste ano. No Estado, são 22.977 leitos, dos quais 15.590 estão vinculados ao SUS. " As Santas Casas e os hospitais filantrópicos estão financiando o SUS, quando deveria ser o contrário. Desse jeito, muitos hospitais vão acabar fechando" , alertou.

Fonte: Isaude.net