Geral
03.04.2013

Pessoas com doença mental são sete vezes mais propensas a usar maconha

Resultados indicam que uso da droga como forma de aliviar sintomas psiquiátricos pode piorar o transtorno mental

Foto: JANIFEST/Stock Photo
Cannabis é a substância ilícita mais utilizada no mundo
Cannabis é a substância ilícita mais utilizada no mundo

Pessoas com doenças mentais são sete vezes mais propensas a usar maconha em comparação com pessoas sem transtornos, de acordo com pesquisadores do Centro de Dependência e Saúde Mental (CAMH), no Canadá.

Os resultados indicam que uso da droga como forma de aliviar sintomas psiquiátricos pode piorar sintomas de sua doença mental.

A cannabis é a substância ilícita mais utilizada no mundo, com uma estimativa de 203 milhões de pessoas relatando seu uso.

"Mostramos que pessoas com doença mental consomem mais maconha, talvez em parte como uma forma de automedicação para os sintomas psiquiátricos, mas esses dados nos mostraram um grau de correlação entre o mau uso de cannabis e a doença mental", afirma o pesquisador Shaul Lev-ran.

Segundo os pesquisadores, com base no número de indivíduos que relatam o uso semanal, é possível notar que as pessoas com doença mental usam maconha em altas taxas. "Isso pode ser motivo de preocupação, porque pode piorar os sintomas de sua doença mental", acrescenta Lev-ran.

Os pesquisadores também descobriram que os indivíduos com doença mental tiveram 10 vezes mais chances de ter um transtorno por uso de maconha.

A equipe analisou dados de entrevistas feitas pessoalmente com mais de 43 mil participantes dos EUA com idade superior a 18 anos. Através de questionários estruturados, os pesquisadores avaliaram o consumo de maconha, bem como várias doenças mentais, incluindo depressão, ansiedade e transtornos por uso de álcool e droga e distúrbios de personalidade.

Entre os participantes com doença mental que relataram uso, pelo menos semanal, de maconha, as taxas de consumo foram particularmente elevadas para aqueles com transtorno bipolar, transtornos de personalidade e transtornos por uso de outras substâncias.

No total, 4,4% dos indivíduos com uma doença mental nos últimos 12 meses relataram uso semanal de maconha, em comparação com 0,6% entre os indivíduos sem qualquer doença mental.

Transtornos por uso de cannabis ocorreram entre 4% das pessoas com doença mental em comparação com 0,4% daqueles sem a condição.

Os pesquisadores também observaram que, embora o uso da maconha geralmente seja maior entre os mais jovens, a associação entre doença mental e uso de cannabis foi disseminada pela maioria das faixas etárias.

Eles enfatizam a importância da triagem para consumo frequente de maconha e problemas entre as pessoas com doença mental, para que prevenção e intervenção posam ser empregadas.

Fonte: Isaude.net