Geral
30.03.2013

Quatro em cada 10 bebês recebem alimentos sólidos muito cedo

Hábito pode aumentar risco de a criança desenvolver obesidade, doenças crônicas e doença celíaca na vida adulta

Foto: Amen Lui
Quase 40% das mães introduzem alimentos sólidos na dieta de crianças antes de completarem seis meses de idade
Quase 40% das mães introduzem alimentos sólidos na dieta de crianças antes de completarem seis meses de idade

Uma grande parte dos pais está fornecendo alimentos sólidos aos bebês mais cedo do que é recomendado, de acordo com especialistas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) nos EUA.

A pesquisa revela que 40% das mães introduzem alimentos sólidos na dieta da criança antes de completarem seis meses de idade, o ponto em que a maioria dos especialistas em saúde acredita que essa ingestão deve começar.

Segundo os pesquisadores, este hábito pode aumentar o risco de uma criança desenvolver obesidade, doenças crônicas, como diabetes e doença celíaca na vida adulta.

"As autoridades de saúde aconselham os pais a esperar até depois de 4 meses, porque as crianças não estão prontas para comer alimentos sólidos antes disso", explica o autora sênior do estudo, Kelley Scanlon.

De acordo com Scanlon, há uma série de outras razões pelas quais os especialistas não recomendam alimentação precoce. Uma delas é que a introdução precoce de alimentos sólidos tem sido associada a uma menor duração do aleitamento materno. Consumo de alimentos sólidos precoce também tem sido associado com o desenvolvimento de doenças crónicas.

Para avaliar como as recomendações de especialistas sobre os alimentos sólidos são seguidas, Scanlon e seus colegas revisaram dados fornecidos por mais de 1.300 mães com bebês.

Os pesquisadores descobriram que 40% das mães introduziram alimentos sólidos antes de seus filhos completarem 4 meses de idade. Cerca de 24% das mães que ofereciam aleitamento exclusivo introduziram alimentos sólidos cedo, enquanto cerca de 53% dos bebês alimentados com fórmula receberam alimentos sólidos cedo. Pouco mais de 50% dos bebês que foram alimentados tanto com leite materno quanto com fórmula receberam alimentos sólidos antes dos 4 meses.

As principais razões citadas pelas mães incluíram, "Meu bebê tinha idade suficiente", "Meu bebê parecia com fome", "Eu queria algo para alimentar o meu bebê, além do leite materno ou fórmula", "Meu bebê queria a comida que eu estava comendo", " Um médico ou outro profissional de saúde disse que meu bebê devia começar a ingerir alimentos sólidos", ou"ajudou meu bebê a dormir mais à noite", segundo o estudo.

Scanlon afirma que as mães que alimentaram os bebês com fórmula eram mais propensas a relatar ter um profissional de saúde que estava de acordo com a introdução dos alimentos sólidos antes dos 4 meses de idade.

Isso sugere que há uma necessidade real para médicos e outros prestadores de cuidados de saúde "para fornecer informações precisas e claras", diz Scanlon. Estes especialistas "podem ajudar os pais a entender melhor as sugestões de seus bebês para a alimentação", disse ela. "Um bebê que chora muito não está sempre com fome."

Os pesquisadores também descobriram que as mães que introduziram alimentos sólidos antes eram mais propensas a ser jovens, solteiras e ter menos educação.

Fonte: Isaude.net