Geral
15.03.2013

Em GO, cerca de 400 pessoas procuram hospital para detectar doença renal

Dado faz parte do balanço da campanha do Dia Mundial do Rim realizado nesta quinta no Hospital Alberto Rassi

Foto: HGG
Estande do Dia Mundial do Rim foi montado na entrada do Hospital Alberto Rassi (HGG)
Estande do Dia Mundial do Rim foi montado na entrada do Hospital Alberto Rassi (HGG)

Cerca de 400 pessoas passaram pelo estande do Dia Mundial do Rim, que estava logo na entrada do Hospital Alberto Rassi (HGG), em Goiânia (GO), nesta quinta-feira (14). A campanha também atraiu curiosos que passavam pela rua e viam a movimentação. Quem viu alguma alteração nos exames, foi logo atendido por um médico, para as primeiras orientações.

Além dos exames, foi feito um questionário para identificar se o participante tinha algum fator de risco que poderia levar a ter doença renal.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, 75% dos pacientes que começam a fazer hemodiálise não sabiam que eram renais crônicos. No Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas têm alguma disfunção renal. O tema da campanha de 2013 é " Pare de agredir seu rim" . " As doenças renais são na maioria das vezes silenciosas. Geralmente só dão importância para o cálculo renal, mas este é um problema mais fácil de resolver" , explica o chefe da Seção de Nefrologia do HGG, Antônio Eustáquio Vieira Júnior.

Na unidade, mais de 300 pacientes por ano são submetidos à terapia com hemodiálise, um processo artificial que substitui as funções dos rins. A unidade conta com sete equipamentos, que atendem diariamente 14 pacientes.

Essas máquinas removem o sangue do corpo e o filtra. A Seção de Nefrologia do HGG é o maior serviço do hospital. Estão disponíveis 22 leitos de internação para os mais variados problemas renais e a taxa de ocupação é de 98%.

Após a gestão da organização social, o HGG recebeu o investimento de R$ 123 mil em oito equipamentos para cirurgias por vídeo, que poderão ser utilizados para o tratamento do cálculo renal. Esse tratamento menos invasivo e mais utilizado em hospitais particulares proporciona grandes benefícios ao paciente é feito pela Seção de Urologia da unidade.

" Rins policísticos, doença de origem genética ou devido hipertensão ou diabetes devem ser descobertos o quanto antes. O diagnóstico pode ser feito através de um exame simples de sangue, chamado de creatinina" , explica o médico.

Antônio Eustáquio ressalta que os clínicos gerais também devem se conscientizar da necessidade deste exame. Destaca ainda que, hábitos saudáveis como controle da pressão arterial, redução do sal na comida, beber água e não fumar são essenciais para a prevenção das doenças renais.

Fonte: Isaude.net