Geral
14.03.2013

Terapia com células-tronco acelera cicatrização de feridas em diabéticos

Células mesenquimais induzem crescimento de vasos sanguíneos na ferida quando aplicadas junto com biomaterial feito de colágeno

Foto: National University of Ireland Galway
Pesquisa revelou que tipo particular de células estaminais podem aumentar a cicatrização de feridas
Pesquisa revelou que tipo particular de células estaminais podem aumentar a cicatrização de feridas

Terapia utilizando células-tronco pode ser capaz de tratar feridas crônicas em pacientes diabéticos. É o que revela estudo inicial de pesquisadores da National University of Ireland Galway.

O trabalho mostrou que um tipo particular de células estaminais, conhecidas como células estaminais mesenquimais (MSC), aumenta a cicatrização de feridas quando aplicado em conjunto com um biomaterial feito de colágeno.

Os pacientes diabéticos têm uma capacidade reduzida para curar feridas e há uma necessidade crítica de desenvolver novos tratamentos para melhorar a cicatrização particularmente em pacientes com úlceras nos pés. Na verdade, ulceração do pé afeta até 25% das pessoas que sofrem de diabetes durante suas vidas e pode resultar em amputação.

"MSC têm muitas propriedades terapêuticas atrativas. Elas podem ser isoladas a partir de adultos e são fáceis de cultivar em laboratório. Pesquisas anteriores mostraram que elas liberam fatores especiais que podem ajudar a crescer novos vasos sanguíneos. O aumento do fluxo de sangue é um passo chave na cicatrização de feridas", afirma o pesquisador Timothy O'Brien.

Segundo os pesquisadores, estes dados iniciais vão permitir a eles avançar para solicitar aprovação e realizar um primeiro estudo em humanos dessa abordagem terapêutica. "Estamos neste momento preparando a apresentação regulamentar para realizar um ensaio clínico humano", concluem.

A pesquisa foi publicada na revista Diabetes.

Fonte: Isaude.net