Geral
11.03.2013

Trio de biomarcadores permite detectar câncer renal em estágio inicial

Teste que acusa presença dos marcadores demonstra alta sensibilidade e especificidade para o diagnóstico da doença

Investigadores do Yonsei University Health System, em Seul, na Coréia do Norte, identificaram três biomarcadores que podem ajudar a identificar o câncer renal em estágios iniciais.

A pesquisa, publicada no Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, sugere que os biomarcadores podem ajudar a capturar outros cânceres difíceis de serem detectados.

"Carcinoma de células renais é uma das formas mais difíceis de câncer de detectar e tratar adequadamente, porque permanece silenciosa até se disseminar para outros órgãos. O desenvolvimento de biomarcadores de um tumor no sangue é uma grande oportunidade para detectar esse assassino silencioso", afirma o pesquisador Nam Hoon Cho.

Cho e seus colegas criaram um imunoensaio para medir os níveis de três potenciais biomarcadores para o câncer de rim: nicotinamida N-metiltransferase (NNMT), L-plastina (LCP1) e proteína 1 de células não metastática (NM23A).

Usando este ensaio, os pesquisadores mediram as concentrações de NNMT, LCP1 e NM23A em 189 amostras de plasma de 102 controles saudáveis e pacientes com tumores benignos e 87 pacientes com câncer de rim. Os níveis plasmáticos indicaram que todos os três biomarcadores foram altamente elevados em pacientes com câncer de rim. Por exemplo, o nível mediano de concentração NNMT nos controles saudáveis foi de 68 pg / mL em comparação com 420 pg / mL para os doentes com câncer renal.

Em seguida, os investigadores testaram a capacidade do imunoensaio para distinguir amostras de plasma de indivíduos saudáveis e pacientes com câncer de rim, utilizando as mesmas 189 amostras de plasma já testadas.

Os resultados indicaram que o ensaio de três marcadores foi altamente preciso. Quando ele identificou corretamente 90% das amostras de controlos saudáveis, também corretamente identificou 94,4% das amostras de doentes com câncer renal.

Para validar a precisão do teste, os investigadores testaram um adicional de 100 amostras de plasma a partir de 73 controlos saudáveis e 27 pacientes com a doença. Nesta análise, 67 das 73 amostras dos controles saudáveis e todas as amostras de pacientes com câncer de rim foram classificadas corretamente.

"Se estes biomarcadores forem realmente válidos e precisos para detectar carcinoma de células renais, muitos pacientes poderiam ser salvos por meio do diagnóstico precoce", conclui Cho.

Fonte: Isaude.net