Geral
26.02.2013

Dieta mediterrânea é tão eficaz quanto estatinas na prevenção de ataque cardíaco

Ingestão de nozes e azeite pode reduzir ataques cardíacos, derrames e morte em pessoas de alto risco em 30%

Foto: Andrejs Pidjass/Stock Photo
A mudança para uma dieta mediterrânea pode reduzir o risco de ataque cardíaco em um terço
A mudança para uma dieta mediterrânea pode reduzir o risco de ataque cardíaco em um terço

Dieta mediterrânea é tão eficaz quanto as estatinas na prevenção de ataque cardíaco, de acordo com estudo publicado no New England Journal of Medicine.

A pesquisa revela que a ingestão de nozes e azeite pode reduzir ataques cardíacos, derrames e as taxas de mortalidade em pessoas com alto risco de problemas cardíacos em até um terço.

Estudos anteriores compararam os efeitos da dieta sobre as pessoas depois de terem sofrido um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, com muitos mostrando melhoras na saúde do coração. No entanto, essa pesquisa foi a primeira a testar rigorosamente os efeitos sobre um grupo de alto risco.

A dieta mediterrânea é rica em frutas, legumes, peixes, nozes, cereais integrais e gorduras "saudáveis", como as do azeite de oliva, enquanto pobre em carne vermelha e produtos lácteos.

No estudo, os pesquisadores recrutaram aleatoriamente 7.447 pessoas na Espanha de 55 a 80 anos que estavam com sobrepeso, eram fumantes e tinham diabetes ou outros fatores de risco para doenças do coração para seguir a dieta mediterrânica ou uma dieta com baixo teor de gordura. Mais da metade era de mulheres.

Aqueles que seguiram a dieta mediterrânea ingeriram cinco porções de frutas e vegetais e peixes três vezes por semana. Eles também receberam azeite de oliva extra virgem ou nozes diariamente.

Eles foram incentivados a comer carne branca ao invés de vermelha, e leguminosas, incluindo feijões, ervilhas e lentilhas, pelo menos três vezes por semana.

Aqueles acostumados a beber foram induzidos a tomar pelo menos um copo de vinho por dia com as refeições. Eles foram aconselhados a evitar biscoitos, doces e bolos, e limitar o consumo de alimentos lácteos e carnes processadas.

Após uma "análise preliminar" que mostrou que 288 pessoas tiveram um ataque cardíaco, AVC ou morreram de uma causa relacionada ao coração, o julgamento foi interrompido após 4,8 anos.

Ao todo, 3,8% dos "eventos" ocorreu no grupo de comer uma dieta mediterrânica com azeite extra virgem; 3,4% em pessoas com uma dieta mediterrânea com mais nozes; e 4,4% em uma dieta de baixo teor de gordura.

No geral, as pessoas que comeram uma dieta de estilo mediterrâneo eram 30% menos propensas a sofrer um ataque cardíaco, derrame ou morte relacionada ao coração em comparação com aquelas em uma dieta de baixo teor de gordura, de acordo com os resultados.

Segundo o líder da pesquisa, Ramon Estruch, da Universidade de Barcelona, a dieta funcionou por causa de todo o pacote nutricional. No entanto, o efeito de longo alcance rápido foi inesperado. "Isto é realmente muito surpreendente para nós", conclui.

Fonte: Isaude.net