Geral
14.02.2013

Proteína do sistema imune presente no sêmen facilita propagação do HIV

Pesquisa sugere que bloquear a ação da interleucina 7 pode evitar ou retardar a transmissão do HIV de homens para mulheres

Uma proteína do sistema imunológico normalmente encontrada no sêmen parece intensificar a disseminação do HIV para o tecido do colo do útero, de acordo com pesquisadores do National Institutes of Health, nos EUA.

A proteína interleucina 7 (IL-7) pertence a uma família de proteínas que regulam a resposta imune. IL-7 está presente no sêmen normal, e ocorre em níveis particularmente elevados no sêmen de homens com HIV.

Os pesquisadores desenvolveram um sistema de cultura de pequenos pedaços de tecido do colo do útero e usaram esse sistema para simular a transmissão do HIV macho-fêmea.

Eles observaram a propagação do vírus no tecido cervical sob condições de laboratório. Na presença de IL-7 em níveis tipicamente encontrados no esperma de homens com o HIV, o vírus propaga-se para o tecido mais rapidamente do que se difunde para o tecido não tratado com IL-7.

De acordo com os autores do estudo, a descoberta levanta a possibilidade de que a IL-7, sozinha ou em combinação com outras moléculas, podem promover a transmissão de HIV de macho para fêmea.

Da mesma forma, segundo eles, é possível que o nível de IL-7 no sêmen possa determinar quão infeccioso um homem HIV positivo é. Além disso, os pesquisadores podem um dia ser capaz de evitar ou retardar a propagação do HIV, bloqueando IL-7.

"Essas experiências nos mostram mais uma vez como o HIV é vicioso. O vírus é capaz de comandar uma proteína imune para o seu próprio benefício", conclui o autor sênior Leonid Margolis.

Fonte: Isaude.net