Geral
13.02.2013

Identificada proteína que impede perda de visão grave em idosos

RPE65 pode ser novo alvo terapêutico para doença degenerativa hereditária da retina e degeneração macular relacionada à idade

Pesquisadores do Louisiana State University Health Sciences Center, nos EUA, identificaram uma proteína que protege as células fotorreceptoras da retina de danos graves induzidos pela luz.

A proteína pode fornecer um novo alvo terapêutico para uma doença degenerativa hereditária da retina e degeneração macular relacionada à idade.

O ciclo visual é essencial para a regeneração de pigmentos visuais que sentem a luz para a visão. No entanto, os ciclos anormais visuais promovem a formação de subprodutos tóxicos que contribuem para o desenvolvimento degeneração macular relacionada à idade, a principal causa de perda de visão em pessoas idosas que afeta cerca de 2 milhões de americanos.

Os mecanismos que regulam o ciclo visual têm sido pouco claros. Identificação e caracterização de enzimas reguladoras do ciclo visual é fundamental para a compreensão destes mecanismos.

RPE65 é uma enzima chave envolvida no ciclo visual. Mutações em RPE65 têm sido associadas com a perda de visão precoce, degeneração da retina, doenças oculares e cegueira. Apesar dessa importância, os mecanismos que regulam a função de RPE65 são desconhecidos.

Para identificar e caracterizar inibidores previamente desconhecidos de RPE65, os cientistas testaram cinco proteínas candidatas. Usando a triagem de gene, a equipe de pesquisa descobriu que um deles, proteína de transporte de ácidos graxos 4 (FATP4), é um regulador negativo, que inibe RPE65.

"Nós descobrimos que FATP4 protege células fotorreceptoras da retina de experimentar degeneração da retina", observa o coautor da pesquisa Nicolas Bazan.

De acordo com os autores, a pesquisa sugere que FATP4 pode ser um alvo terapêutico para a doença hereditária degenerativa da retina e degeneração macular relacionada à idade causadas por mutações em RPE65.

Fonte: Isaude.net