Geral
29.01.2013

Geleia à base de células-tronco pode reparar joelhos com artrite

Células-tronco extraídas do cordão umbilical de doadores desencadeiam a restauração e o recrescimento de cartilagem

Pesquisadores internacionais desenvolveram um tipo de geleia feita a partir de células-tronco para tratar joelhos com artrite.

As células-tronco, que são extraídas do sangue do cordão umbilical de doadores, parecem desencadear a reparação e o recrescimento de cartilagem danificada.

Um pequeno estudo descobriu que o tratamento único levou a uma melhoria de 67% no reparo da cartilagem, e os pesquisadores acreditam que isso pode se tornar uma alternativa à cirurgia de substituição da articulação.

Dois ensaios clínicos maiores estão em andamento avaliando seus efeitos.

A cartilagem age como um amortecedor na junção e proporciona uma superfície lisa que permite que os ossos deslizem suavemente um sobre o outro. No entanto, esta camada pode se decompor com a idade, provocando dor e inchaço, condição conhecida como osteoartrite.

Uma vez danificada, a cartilagem articular não se renova tão facilmente como outros tecidos, já que é mal irrigada por vasos sanguíneos e nervos. Os tratamentos atuais incluem analgésicos, fisioterapia e esteroides, ou a substituição parcial ou total do joelho. Cerca de 40 mil desses procedimentos são realizados a cada ano, mas a esperança é que as células-tronco possam reduzir esta incidência.

As células-tronco são como folhas em branco, e podem-se transformar em uma variedade de diferentes células no corpo. Há algumas células-tronco encontradas naturalmente no joelho, e enquanto estas podem se transformar em células de cartilagem, o seu número diminui com a idade e tornam-se menos eficientes, portanto, não podem lidar com os danos.

Para superar isso, os cientistas extraíram células-tronco do joelho, em seguida, aumentaram seus números em um laboratório antes de implantá-las de volta no joelho.

No entanto, isto exige a extração e o implante, e devido ao número limitado de células estaminais disponíveis, isso parece reparar somente pequenas áreas danificadas.

O último tratamento é baseado em células-tronco do sangue do cordão umbilical de doadores. Estas são muito mais ativas do que as células-tronco adultas.

O sangue é coletado pelo NHS Cord Blood bank. As células estaminais são removidas do sangue, em seguida, cultivadas em laboratório e transformadas em um material tipo gel. O ortopedista utiliza técnicas de cirurgia minimamente invasiva para colocar o gel dentro da área danificada.

Segundo os cientistas, isso pode ser particularmente adequado para pacientes mais velhos, já que sua reserva de célula tronco é esgotada, bem como aqueles com grandes áreas de danos.

Após um estudo pequeno inicial envolvendo 10 pacientes em Seul, há agora dois ensaios clínicos em andamento com 50 participantes na Rush University e no Brigham and Women's Hospital, nos EUA, além de sete hospitais na Coréia.

Fonte: Isaude.net