Profissão Saúde
27.01.2013

UnB cria manual online sobre a correta aplicação de medicamentos

Publicação auxilia profissionais de saúde com análises sobre a posologia, a interação entre medicamentos e com alimentos

Uma equipe de profissionais e alunos do Hospital Universitário de Brasília (HUB, Hospital público ligado a Universidade de Brasília (UnB), publicou uma coleção de estudos feita para auxiliar o uso de remédios pelos profissionais de saúde da Instituição - que pode ser consultado na internet por outros especialistas interessados.

O livro Farmacologia Clínica - Textos Informativos, explica como e em quais situações deve-se usar os medicamentos, que alterações podem acontecer no caso da interação entre alguns deles e na administração com alimentos. Além disso, traz advertências e cuidados a respeito do modo correto de preparo, manuseio e dose de aplicação.

A publicação foi organizada pela professora de Farmacologia Patrícia Medeiros de Souza, pelo residente de Farmácia Clínica do HUB Bruno Gedeon de Araujo e pela bibliotecária Laura Patrícia da Silva. O apanhado foi construído a partir de trabalhos de pesquisa realizados ao longo de 2012. Os boletins foram elaborados levando-se em consideração a evidência clínica das informações e servem para a tomada de decisão em interações medicamentosas.

"É um trabalho feito para esclarecer e orientar profissionais e, dessa forma, ajuda a reduzir o tempo de internação dos pacientes e também serve de consulta para os profissionais de saúde nos ambulatórios e enfermarias" , explica a professora Patrícia Medeiros de Souza. " São iniciativas que, se aplicadas em larga escala nos hospitais públicos, podem diminuir substancialmente os gastos com a saúde da população" , defende.

Bulas fáceis

Outro trabalho realizado pela equipe do HUB - e que complementa as orientações do livro Farmacologia Clínica - Textos Informativos - é a elaboração de bulas em linguagem de fácil compreensão para os usuários do sistema público de saúde (as informações podem ser encontradas aqui). Além de expor uma comunicação simples e clara, os autores desenvolveram inovações, como o uso de cores para estabelecer associação entre a gravidade da situação e as placas de sinalização de trânsito. A atividade é desenvolvida desde 2009.

As bulas descrevem, de um modo simples e objetivo, como e em quais situações se deve usar o remédio e informam sobre alterações que podem acontecer com o usuário. Além disso, trazem advertências e cuidados a respeito do preparo, manuseio e aplicação dos medicamentos. O modelo começou a ser elaborado em 2009 e oferece orientações aos pacientes e profissionais de saúde do HUB.

Segundo Patrícia Medeiros de Souza, o material é semelhante às bulas comuns, com identificação do medicamento e informações ao paciente. No entanto, a novidade é o uso de cores. " Lançamos mão de ilustrações, comparando o conteúdo da bula com as informações do semáforo de trânsito, sendo contraindicado o da cor vermelha, precaução o da cor amarela e o uso da cor verde no caso de medicamento com menos restrições terapêuticas" .

Com informações da UnB

Fonte: Isaude.net