Geral
23.01.2013

Em parceria com Cuba, cidade baiana inicia nova abordagem no combate ao câncer

Proposta é organizar a Atenção Básica para participar da prevenção, de forma que o paciente tenha acesso à detecção precoce

Uma das ações contempladas no termo de cooperação científica em Oncologia firmado entre Brasil e Cuba é o Projeto Interdisciplinar e Social de Cuidado e Controle do Câncer na Atenção Básica, ou simplesmente Projeto Conquista, como foi batizado. A proposta é organizar a Atenção Básica para participar da prevenção, de forma que o paciente tenha acesso à detecção precoce. Além disso, espera-se que a Atenção Básica também possa acompanhar os usuários já diagnosticados e em tratamento.

Trata-se de uma experiência pioneira de abordagem do câncer, que, no Brasil, será implementada, de forma piloto, na cidade baiana de Vitória da Conquista. O projeto também será desenvolvido em Santa Clara, em Cuba, com intercâmbio de informações entre os dois municípios. Os novos conhecimentos produzidos poderão ser aplicados em outros locais do Brasil e do mundo.

Adriana Atty, tecnologista da Divisão de Ações de Detecção Precoce do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), diz que um dos objetivos do Projeto Conquista é mudar estigmas relacionados ao tratamento oncológico. " O câncer é uma doença crônica que pode ser controlada e, muitas vezes, curada. As pessoas precisam entender que câncer não é finitude de vida" , afirmou a tecnologista, durante o lançamento do projeto, em novembro de 2012. Também participaram da cerimônia, realizada em Vitória da Conquista, representantes da Prefeitura, da Fundação Estatal de Saúde da Família da Bahia (Fesf) e da Diretoria da Atenção Básica da Secretaria Estadual de Saúde.

Antigos parceiros em ações de saúde pública, Brasil e Cuba estreitaram seus laços na área oncológica a partir de uma visita de representantes do INCA ao país caribenho, em fevereiro de 2010. Em março de 2012, a diretora da Seção de Controle de Câncer do Ministério da Saúde de Cuba, Teresa Romero, esteve no Brasil tendo, inclusive, visitado o Instituto , para dar continuidade à cooperação entre os dois países.

Fonte: Isaude.net