Geral
23.01.2013

Australiano cria vinho tinto capaz de tratar artrite e fadiga crônica

Bebida enriquecida com antioxidantes tem a mesma qualidade e sabor e pode agir como anti-inflamatório

Foto: Pawel Worytko/Foto Stock
Fórmula do vinho tinto alterado pode combater doenças como artrite
Fórmula do vinho tinto alterado pode combater doenças como artrite

Um bioquímico australiano afirma ter descoberto uma fórmula de vinho tinto com alta concentração de antioxidantes que fornece mais benefícios para a saúde e pode combater doenças.

A modificação não alterou a qualidade nem o sabor do produto. A bebida pode atuar como anti-inflamatório e no combate a condições como artrite e fadiga crônica.

Enquanto estudos anteriores têm sugerido uma pequena ingestão diária de vinho pode ajudar os homens a viver mais tempo e pode proteger contra doenças do coração, eles sempre foram contrariados devido aos perigos do consumo de álcool.

"Buscamos esse antioxidante presente em pequenas quantidades no vinho, e o elevamos a um nível onde ele poderia ter efeito sobre a saúde", afirma o pesquisador Greg Jardine.

Segundo Jardine, introduzir antioxidantes no vinho fez com que ele não fosse passível de consumo, por causa do alto índice de taninos, substâncias encontradas em plantas. Modificando esses componentes para que eles se tornassem solúveis em gorduras e mais bem assimilados pelo corpo, o cientista afirma que conseguiu deixar o líquido potável.

Seu vinho foi criado usando processos normais de vinificação, no entanto foram tomadas medidas para melhorar alguns processos que normalmente ocorrem em um nível muito menos intenso.

O pesquisador espera que a tecnologia também possa ser usada em outros alimentos e bebidas. De acordo com ele, provavelmente também poderia tornar a cerveja ou doces benéficos para a saúde.

A farmacologista Lindsay Brown, que testou compostos na Universidade de Southern Queensland, afirma que o produto parece ser eficaz na melhoria da saúde de ratos aleijados com artrite. "Ele impede completamente a inflamação, o inchaço e a rigidez das patas", afirma.

Fonte: Isaude.net