Ciência e Tecnologia
14.01.2013

Dispositivo fornece imagens detalhadas do esôfago em menos de um minuto

Sistema que não exige sedação do paciente é mais vantajoso que endoscopia e vai melhorar detecção do câncer de esôfago

Foto: Massachusetts General Hospital
Cápsula contém laser infravermelho rotativo e sensores para a gravação de luz reflectida
Cápsula contém laser infravermelho rotativo e sensores para a gravação de luz reflectida

Pesquisadores do Massachusetts General Hospital, nos EUA, desenvolveram um sistema de imagens contido em uma cápsula do tamanho de uma pílula que cria imagens microscópicas detalhadas da parede do esôfago.

O sistema, que tem várias vantagens em relação à endoscopia tradicional, vai melhorar a triagem de pacientes para o câncer de esôfago.

"Esse sistema nos fornece uma maneira conveniente de examinar a presença de esôfago de Barrett que não requer sedação do paciente, equipamentos especializados ou um médico treinado em endoscopia. Ao mostrar a estrutura tridimensional e microscópica da mucosa do esôfago, o sistema revela muito mais detalhe do que pode ser visto mesmo com endoscopia de alta resolução", afirma o pesquisador Gary Tearney.

O sistema desenvolvido por Tearney e seus colegas envolve uma cápsula contendo laser infravermelho e sensores para a gravação de luz refletida. Após a cápsula ser engolida por um paciente, ela é levada para baixo do esôfago por meio da contração normal dos músculos circundantes. Quando a cápsula atinge a entrada do estômago, pode ser puxada para trás por uma corda ligada à cápsula. Imagens são então tomadas enquanto a cápsula transita para cima e para baixo no esôfago.

Os pesquisadores testaram o sistema em 13 participantes não sedados, seis com esôfago de Barrett e sete voluntários saudáveis. Os médicos que operam o sistema foram capazes de visualizar o esôfago inteiro em menos de um minuto. Um exame endoscópico típico requer que o paciente permaneça na unidade de endoscopia por aproximadamente 90 minutos.

As imagens microscópicas detalhadas produzidas pelo sistema revelaram estruturas que não são facilmente observadas com endoscopia e claramente distinguiram alterações celulares que significam esôfago de Barrett. Os participantes do estudo que tinham sido submetidos previamente à endoscopia indicada preferiram o novo procedimento.

"As imagens produzidas foram algumas das melhores que já vi do esôfago. Nós originalmente estávamos preocupados em perder uma grande quantidade de dados, devido ao pequeno tamanho da cápsula, mas ficamos surpresos ao descobrir que, uma vez que a pílula foi engolida, ela é firmemente 'agarrada' pelo esôfago, permitindo a visualização de toda a parede. O dispositivo fornece informações adicionais importantes de diagnóstico, tornando possível visualizar a estrutura com maior detalhe", relata Tearney.

As recomendações atuais para diagnóstico de esôfago de Barrett, que é incomum em mulheres, englobam a triagem endoscópica de homens com azia crônica e frequente e outros sintomas de refluxo gastroesofágico.

Segundo o coautor Norman Nishioka, um dispositivo barato e de baixo risco pode ser utilizado para rastrear grupos maiores de pacientes, com a esperança de prevenir o câncer de esôfago ou descobri-lo em um estágio inicial. Mas precisamos de mais estudos para ver avaliar a eficácia do procedimento.

Fonte: Isaude.net