Geral
03.01.2013

Novo método prevê efeitos colaterais de medicamentos antes da comercialização

Técnica pode salvar pacientes dos efeitos adversos graves e economizar tempo e dinheiro das empresas farmacêuticas

Foto: Leopolis/Foto Stock
Identificação dos possíveis efeitos colaterais dos medicamentos, antes de chegar ao mercado, pode salvar vidas
Identificação dos possíveis efeitos colaterais dos medicamentos, antes de chegar ao mercado, pode salvar vidas

Cientistas da Kyushu University, no Japão, desenvolveram uma nova forma de prever efeitos colaterais de medicamentos antes que eles sejam colocados à venda.

Os efeitos colaterais são a principal razão para a retirada de medicamentos do mercado e uma das principais razões pela qual pacientes param de tomar seus medicamentos. O novo método pode salvar pacientes dos efeitos colaterais graves e economizar tempo e dinheiro das empresas farmacêuticas.

Yoshihiro Yamanishi e seus colegas explicam que os efeitos colaterais de drogas são um grande problema de saúde, a quarta principal causa de morte nos EUA, que, segundo algumas estimativas, causam 100 mil mortes a cada ano.

Os métodos atuais de testes de efeitos colaterais são caros e imprecisos. Agora, os cientistas procuraram desenvolver uma nova abordagem baseada em computador para prever os possíveis efeitos secundários de forma mais segura.

Os pesquisadores mostraram a utilidade do novo método prevendo simultaneamente os 969 efeitos secundários de 658 medicamentos que já se encontram em utilização médica.

O método é baseado no conhecimento de informações químicas e biológicas dos ingredientes desses medicamentos. Eles também usaram a abordagem para identificar possíveis efeitos colaterais de muitas moléculas descaracterizadas.

Com base nesse trabalho, os cientistas concluem que o novo método pode ser útil na descoberta de efeitos colaterais graves no início do desenvolvimento e dos testes de novas drogas, evitando investimentos dispendiosos em medicamentos impróprios para comercialização.

A pesquisa foi publicada no ACS? Journal of Chemical Information and Modeling.

Fonte: Isaude.net