Geral
01.01.2013

Programa "Carretas da Mulher" realiza mais de 65 mil exames no Amazonas

Em março de 2012, duas unidades passaram a compor a frota de veículos. Ao todo, foram realizadas 19.014 mamografias

Foto: Rodrigo Brandão/SemCom
Unidades Móveis de Saúde da Mulher, conhecidas como
Unidades Móveis de Saúde da Mulher, conhecidas como "Carretas da Mulher", realizaram 65.408 exames.

Em 15 meses de funcionamento no Amazonas, as Unidades Móveis de Saúde da Mulher, popularmente conhecidas como " Carretas da Mulher" , permitiram a realização de 65.408 exames, dentre mamografias, ultrassonografias e coletas de preventivo (papanicolau).

A Prefeitura de Manaus deu início aos atendimentos com duas unidades, em agosto de 2011. Em novembro daquele ano, mais duas unidades móveis do tipo foram introduzidas na rede. Em março de 2012, outras duas passaram a compor a frota. Do início das ações, até o encerramento das atividades nesta semana, foram realizadas 19.014 mamografias; 28.592 ultrassonografias e 17.802 exames preventivos do câncer uterino, perfazendo o total de 65.408 procedimentos.

Segundo informou a secretaria de saúde, a implantação do serviço permitiu a ampliação da capacidade de rastreamento do câncer de mama nas mulheres de 40 a 69 anos de idade, aumentando as chances de cura, com a detecção precoce da doença.

Os casos com indicativa de malignidade foram encaminhados para a Fundação Cecon, unidade de referência para o tratamento de câncer no estado.

Os atendimentos das carretas foram encerrados nesta semana e, nos próximos dias, as seis unidades passarão por manutenção preventiva, para que permaneçam em perfeito estado de conservação, até que os serviços sejam retomados, em 2013.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato, durante as consultas ambulatoriais na rede municipal o público feminino recebe orientações sobre como manter a vigilância permanente no combate ao câncer. No caso da mamografia, o Ministério da Saúde orienta para a realização do exame a cada dois anos, em mulheres com idade acima de 40 anos. Em relação ao exame preventivo, observa o secretário, a indicação do MS é que seja feito durante dois anos seguidos e, se o resultado for negativo para câncer, a paciente deve permanecer com a rotina laboratorial a cada três anos. " O exame permite a observação da lesão de baixo ou de alto grau no colo do útero que, se identificadas e tratadas precocemente, deixarão de evoluir para o câncer" , explica.

Fonte: Isaude.net