Saúde Pública
20.12.2012

Paraná estuda criação de ambulatório público para transexuais e travestis

Centro prestará atendimento integral ao paciente, levando em conta as particularidades e as doenças mais comuns desta população

Foto: SES/PR
Michele Caputo Neto, secretário da Saúde, durante reunião com a presença de lideranças LGBT
Michele Caputo Neto, secretário da Saúde, durante reunião com a presença de lideranças LGBT

Em conformidades com políticas de cidadania e direitos humanos, a Secretaria de Saúde do Paraná vai implantar um ambulatório especial para atendimento do público LGBT, sobretudo para transexuais e travestis. A medida visa prestar atendimento integral ao paciente, levando em conta as particularidades e doenças que mais atingem esse público. Exames e testes rápidos também serão oferecidos .

O secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, com a presença de lideranças LGBT, instituiu a resolução do Comitê Técnico de Trabalho para discutir a implementação do Ambulatório. O comitê é composto por membros da Secretaria da Saúde e de entidades da sociedade civil.

De acordo com Carla Amaral, representante do Grupo Marcela Prado, é preciso eliminar o preconceito nos serviços de saúde. " O atendimento deve ser humanizado e respeitar os direitos do cidadão, independente de sua opção sexual" , disse.

Segundo o secretário Caputo Neto, é preciso o apoio das instituições para formular um projeto nesta área, em conformidade com as políticas nacionais de saúde e direitos humanos (Política Nacional de Saúde Integral LGBT e Plano Nacional de Promoção da Cidadania e dos Direitos Humanos LGBT). Sabemos que a assistência a essa população ainda carece de atenção e investimento" , afirmou o secretário. O estado vai estudar uma forma de capacitação dos profissionais de saúde dos municípios para prestar assistência adequada ao público LGBT nas unidades básicas de saúde (UBS).

Fonte: Isaude.net