Geral
16.12.2012

Identificada proteína do ouvido interno que converte som em sinais cerebrais

Trabalho sugere nova abordagem promissora para o desenvolvimento de terapia genética para pessoas com deficiência auditiva

Foto: Scripps Research Institute
Professor Ulrich Mueller, Nicolas Grillet (a esq.) e Wei Xiong, envolvidos na pesquisa
Professor Ulrich Mueller, Nicolas Grillet (a esq.) e Wei Xiong, envolvidos na pesquisa

Cientistas do Scripps Research Institute, nos EUA, descobriram uma proteína no ouvido interno que é responsável por converter as ondas sonoras em impulsos elétricos.

A pesquisa revela que a proteína chamada TMHS é componente dos canais de mecanotransdução no ouvido, que convertem as ondas sonoras mecânicas em impulsos elétricos transmitidos para o sistema nervoso.

O trabalho sugere uma nova abordagem promissora para a terapia genética para pessoas com deficiência auditiva. Em laboratório, os cientistas foram capazes de implantar TMHS funcional nas células sensoriais para percepção do som de ratos surdos recém-nascidos, restaurando sua função.

Em algumas formas de surdez humana, pode haver uma maneira de colar novamente estes genes e consertar as células após o nascimento.

TMHS parece ser a ligação direta entre o mecanismo no ouvido interno que responde ao som e o mecanismo que dispara sinais elétricos para o cérebro. Quando a proteína está ausente em ratos, estes sinais não são enviados para o cérebro e eles não podem perceber o som.

Formas genéticas específicas desta proteína já foram encontradas em pessoas com formas hereditárias comuns de surdez, e essa descoberta parece ser a primeira explicação para como essas variações genéticas contribuem para a perda auditiva.

"Podemos agora começar a entender como os organismos convertem os sinais mecânicos em sinais elétricos, que são a linguagem do cérebro", conclui o líder do estudo Ulrich Mueller.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Scripps Research Institute
Proteína no ouvido interno é responsável por converter as ondas sonoras em impulsos elétricos.

Fonte: Isaude.net