Geral
05.12.2012

Nanopartículas naturais produzidas por fungo matam células cancerosas

Compostos secretados pelo fungo Arthrobotrys oligospora estimulam sistema imunológico dos pacientes para eliminar os tumores

Equipe de cientistas da Universidade do Tennessee, nos EUA, descobriu que nanopartículas produzidas pelo fungo Arthrobotrys oligospora têm propriedades anticâncer.

O estudo, publicado na revista Advanced Functional Materials, estimula o sistema imunológico dos pacientes e matar os tumores.

A equipe, liderada por Mingjun Zhang, estava examinando mecanismo de captura de A. oligospora por lombrigas quando descobriram que o fungo secreta compostos constituídos por nanopartículas altamente uniformes.

Estudos anteriores mostraram que nanopartículas são partículas minúsculas importantes para o tratamento do câncer.

"Nanopartículas que ocorrem naturalmente têm atraído crescente interesse da comunidade científica por sua biocompatibilidade. As nanopartículas têm demonstrado propriedades únicas ópticas, térmicas e eletrônicas. Além disso, o seu tamanho reduzido permite que elas facilmente atravessem as membranas celulares, um requisito essencial para a terapia do câncer", explica Zhang.

A equipe investigou o potencial das nanopartículas derivadas de fungos como estimulante para o sistema imunológico, e descobriram, através de um estudo in vitro, que as nanopartículas ativam a secreção de um estimulante do sistema imune, dentro de uma linha de células brancas do sangue.

Eles também investigaram o potencial das nanopartículas como agente anti-tumoral por meio de testes in vitro da toxicidade para as células, utilizando duas linhas celulares tumorais, e descobriram que as nanopartículas matam as células cancerosas.

De acordo com Zhang, a natureza enfrenta muitas doenças, e oferece mecanismos para a cura como resultado da evolução. "Este estudo pode levar a novos materiais para o tratamento de câncer. Compreender como estas nanoestruturas são formadas nos sistemas naturais também fornece nova abordagem para uma geração futura de nanoestruturas com aplicações biomédicas", afirma.

A equipe conclui que a descoberta representa o primeiro passo em frente no desenvolvimento de nanopartículas naturais para o tratamento do câncer e demonstra a importância de olhar para a natureza para a inovação no tratamento de doenças.

Fonte: Isaude.net