Geral
02.12.2012

Ciclismo restaura ligações em regiões do cérebro associadas ao Parkinson

Prática regular da atividade física tem potencial para ajudar a aliviar os sintomas da doença neurodegenerativa

Foto: Lisa F. Young/Foto Stock
Andar de bicicleta pode ser terapia eficaz e de baixo custo para o Parkinson
Andar de bicicleta pode ser terapia eficaz e de baixo custo para o Parkinson

Prática regular de ciclismo pode ajudar a aliviar os sintomas da doença de Parkinson, de acordo com pesquisadores do Cleveland Clinic Lerner Research Institute, nos EUA.

O estudo sugere que o exercício melhorou as conexões entre regiões cerebrais ligadas à doença e impulsionou a coordenação e o equilíbrio dos pacientes.

O pesquisador Jay Alberts começou a investigação depois de perceber melhorias em uma acompanhante seu com Parkinson após um passeio de longa distância.

"A descoberta foi acidental. Eu estava pedalando mais rápido, o que a obrigou a pedalar mais rápido. Ela teve melhorias na função de membro superior, então começamos a olhar para o possível mecanismo por trás dessa melhora", afirma Alberts.

Alberts e seus colegas realizaram uma série de exames no cérebro de 26 pacientes com Parkinson que fizeram exercícios com bicicletas três vezes por semana durante dois meses.

Alguns pedalaram no próprio ritmo, enquanto outros se comprometeram com o ciclismo mais pesado, em que eram forçados a pedalar mais rápido.

Os exames revelaram que o ciclismo impulsionou conexões entre as regiões cerebrais ligadas ao movimento.

Segundo os pesquisadores, os resultados mostraram que o exercício na bicicleta consiste em uma terapia eficaz e de baixo custo para tratar a doença de Parkinson.

A equipe acredita que a rotina regular de exercícios pode ajudar as pessoas com a condição não só a melhorar sua aptidão geral, mas também melhorar o movimento e equilíbrio, bem como outros sintomas da doença, como ansiedade e depressão.

Fonte: Isaude.net