Geral
30.11.2012

Crianças obesas são mais vulneráveis à publicidade de alimentos

Participantes acima do peso tiveram maior ativação de regiões cerebrais ligadas à recompensa quando viam marcas de alimentos

Foto: St. Alexius Medical Center
Exposição a propagandas de alimentos 'ativa' regiões específicas do cérebro de crianças com excesso de peso.
Exposição a propagandas de alimentos 'ativa' regiões específicas do cérebro de crianças com excesso de peso.

Cientistas dos Estados Unidos descobriram que as crianças obesas são mais influenciadas pela publicidade de alimentos do que aquelas com peso normal.

Resultados mostram que crianças acima do peso tiveram maior ativação de regiões cerebrais ligadas à recompensa quando viam marcas de alimentos.

A equipe utilizou exames de neuroimagem, como a ressonância magnética para observar imagens do fluxo sanguíneo no cérebro de crianças obesas e de peso saudável.

Amanda S. Bruce e seus colegas da Universidade de Missouri estudaram 10 crianças saudáveis e 10 crianças acima do peso, com idades entre 10 e 14 anos.

"Estávamos interessados em saber como as respostas do cérebro aos logotipos de alimentos seriam diferentes entre crianças obesas e de peso saudável", explica Bruce.

As crianças visualizaram 60 logotipos alimentares e 60 logotipos de produtos variados.

A análise mostrou que crianças acima do peso tiveram maior ativação das regiões cerebrais responsáveis pela recompensa quando viam as marcas de alimentos. Já as crianças saudáveis apresentaram maior atividade das áreas ligadas ao autocontrole.

Em geral, as crianças de peso saudável auto relataram mais autocontrole do que as crianças obesas. Isso apoia o corpo de pesquisa que mostra que, em determinadas situações, os indivíduos de peso saudável experimentar uma maior ativação de regiões de controle do cérebro do que indivíduos obesos.

"Este estudo fornece evidências preliminares de que crianças obesas podem ser mais vulneráveis aos efeitos da publicidade de alimentos. Uma das chaves para melhorar a saúde relacionada com a tomada de decisões pode ser encontrada na capacidade de melhorar o autocontrole", afirma Bruce.

A equipe acredita que o treinamento de autocontrole pode trazer benefícios para crianças obesas e pode levar a um maior sucesso na perda de peso.

As taxas de obesidade infantil triplicaram nos últimos 30 anos, e a comercialização de alimentos tem sido apontada como um fator que contribui para esta tendência. A cada ano, as empresas dos EUA gastam mais de US$ 10 bilhões no marketing de comidas e bebidas destinadas ao público infantil. Cerca de 98% dos produtos alimentícios anunciados para crianças na televisão são ricos em gordura, sódio ou açúcar.

Fonte: Isaude.net