Profissão Saúde
29.11.2012

Médico desenvolve projeto de diagnóstico de câncer de pele por fotografia

Ideia é atender necessidade de profissionais em regiões remotas do país e ainda aumentar o diagnóstico precoce de tumores

Foto: Hospital de Câncer de Barretos
Carlos Eduardo Goulart Silveira, médico do Instituto de Prevenção do Hospital de Câncer de Barretos.
Carlos Eduardo Goulart Silveira, médico do Instituto de Prevenção do Hospital de Câncer de Barretos.

Para suprir o déficit médico em regiões remotas do país e, consequentemente, aumentar o diagnóstico precoce de tumores cutâneos, o médico Carlos Eduardo Goulart Silveira, do Instituto de Prevenção do Hospital de Câncer de Barretos, no interior de São Paulo, desenvolve um projeto de diagnóstico de câncer de pele por fotografia, chamado de Teledermatologia.

" Enquanto a estima ideal aponta cerca de um médico para cada 250 cidadãos, há regiões que possuem, por exemplo, um médico para cada 9.000 habitantes. Para poder viabilizar o diagnóstico de uma maneira mais rápida e eficiente, qualquer profissional ligado a saúde dessas regiões que observar características que indicam um possível câncer no paciente, tira uma foto da lesão e encaminha à nossa equipe para a análise e, se necessário, encaminha o paciente para tratamento no Hospital " , explica.

De acordo com o médico, a taxa de concordância entre os exames feitos pessoalmente e os feitos por meio de foto é cerca de 85%. " Além de ser um índice de diagnóstico alto, evita que o paciente, em um primeiro momento, desloque-se grandes distâncias até o tratamento adequado" , complementa.

O projeto também complementa o próprio trabalho da Unidade Móvel III do Hospital de Câncer de Barretos, pois esta carreta é equipada para realizar cirurgias de câncer de pele na própria unidade, possibilitando um tratamento mais eficaz e rápido para o paciente.

O câncer de pele é o tipo de câncer com maior número de ocorrência no mundo. Os números dizem tudo: somente em 2012, foram estimados pelo INCA 6.230 novos casos de câncer de pele melanoma e 134.170 de não-melanoma no Brasil - sendo que a estimativa de casos de câncer pro ano, de acordo com a União Internacional para o Controle do Câncer, beira os 500 mil novos casos.

Fonte: Isaude.net