Geral
13.11.2012

'Banho quimioterápico' direciona tratamento apenas para órgão doente

Técnica, testada em pessoas com câncer de fígado, limita exposição do tecido saudável às drogas e reduz efeitos colaterais

Foto: Ministério da Saúde
Tratamento padrão mata células cancerosas, mas ataca tecidos saudáveis, causando efeitos colaterais desagradáveis
Tratamento padrão mata células cancerosas, mas ataca tecidos saudáveis, causando efeitos colaterais desagradáveis

Médicos britânicos testaram uma técnica que lava apenas o órgão doente com câncer em uma solução com medicamentos quimioterápicos.

O tratamento tem potencial para reduzir os efeitos colaterais, limitando a exposição do tecido saudável às drogas. Segundo especialistas, isto significa que doses mais elevadas podem ser administradas sem causar danos ao doente.

O médico Brian Stedman, do Southampton General Hospital, testou o tratamento de 60 minutos em dois pacientes com câncer de fígado.

No tratamento, conhecido como Chemosaturation with Percutaneous Hepatic Perfusion, o sangue no fígado foi drenado do paciente e processado através de uma máquina de filtragem para reduzir a toxicidade, antes de ser devolvido ao paciente, através da veia jugular.

Resultados de um estudo recente nos EUA mostraram que os pacientes com melanoma que receberam PHP sobreviveram cinco vezes mais antes de a doença progredir do que aqueles que foram submetidos à quimioterapia padrão.

"Separar um órgão do corpo por 60 minutos, mergulhando-o em uma alta dose de medicamentos e, em seguida, filtrando o sangue quase completamente antes de devolver ao organismo é verdadeiramente inovador", afirma Stedman.

Segundo Stedman, o tratamento pode continuar a ser utilizado para uma série de outros tipos de câncer, incluindo de cólon, mama e melanoma.

Além dos estudos nos EUA, a técnica foi utilizada na Alemanha, Itália, Irlanda e França.

Fonte: Isaude.net