Ciência e Tecnologia
09.11.2012

Estudo mostra que Iphone e Droids causam menos alergias que os Blackberries

"Cerca de 30% dos Blackberries contêm níquel, mas a presença tanto de níquel ou cobalto não foi detectada em iPhones ou Droids"

Imagem: Divulgação
Blackberries possuem 30% de níquel, mas tal substância não foi encontrada em iPhones
Blackberries possuem 30% de níquel, mas tal substância não foi encontrada em iPhones

A batalha entre Blackberry e iPhone vem sendo travada desde a estréia do celular da Apple em 2007. Mas de acordo com um estudo apresentado no Encontro Científico Anual do American College of Allergy, Asthma and Immunology (ACAAI), há um vencedor claro quando se trata da saúde.

Com mais de 285 milhões de assinantes de telefonia celular nos Estados Unidos, alergistas ACAAI estudaram os smartphones mais populares para dois alérgenos comuns: cobalto e níquel.

" Cerca de 30% dos Blackberries contêm níquel, mas a presença tanto de níquel ou cobalto não foi detectada em iPhones ou Droids", disse a alergista Tania Mucci, principal autora do estudo e membro ACAAI. "Ambos os metais podem causar reações alérgicas, incluindo manchas pruriginosas ao longo dos ossos da face, linha da mandíbula e as orelhas."

Os modelos menos populares de telefones flip também revelaram níveis de cobalto e níquel. Cerca de 91% continham níquel e 52% cobalto. Estes metais são comumente usados em itens como jóias, moedas e até maquiagem. O níquel é um dos alergênos de contacto mais comuns, afetando 17% das mulheres e 3% dos homens.

"Pacientes com alergias a níquel e cobalto devem considerar o uso de iPhones ou Droids para reduzir a chance de ter uma reação alérgica", disse a alergista Luz Fonacier, integrante do estudo. "Os usuários de BlackBerry com alergias conhecidas devem evitar conversas prolongadas, mensagens de texto e manipulação de seus telefones se começarem a perceber o aparecimento dos sintomas."

Os sintomas do processo alérgico ao níquel e cobalto incluem vermelhidão, inchaço, coceira, eczema, bolhas, lesões cutâneas e ocasionais cicatrizes. Para as pessoas que sofrem destas alergias e necessitam usar o telefone permanentemente, a ACAAI aconselha o uso de capas plásticas, fones de ouvido sem fio e coberturas de telas com plástico transparente para diminuir as reações.

Conheça o site do Encontro cientifico anual do ACAAI

Fonte: Isaude.net