Saúde Pública
02.11.2012

Após 70 mortes, OMS trabalha para recuperar impactos do Sandy no Caribe

Maioria das mortes ocorreu no Haiti, com 54 óbitos. Quase 13 mil tiveram de ser evacuadas para abrigos temporários

Foto: UN Photo/Logan Abassi
Destruição no Haiti após a passagem do Furacão Sandy.
Destruição no Haiti após a passagem do Furacão Sandy.

Os impactos do furacão Sandy no Caribe estão sendo sentidos especialmente em Cuba, Jamaica, Bahamas e Haiti. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial de Saúde (OMS) na região, cerca de 70 pessoas morreram e várias continuam desaparecidas.

A maioria das mortes ocorreu no Haiti, com 54 óbitos. Quase 13 mil pessoas tiveram de ser evacuadas para abrigos temporários. As fortes chuvas e enchentes causaram danos em pontes e rodovias.

Segundo a Opas, aumentou o número de alertas de cólera, no Haiti, principalmente em acampamentos de deslocados internos e em áreas de difícil acesso. Vários centros de tratamento foram afetados pelos ventos fortes e alagamentos.

Em Nova York, a sede da ONU reabriu, parcialmente, na quarta-feira com uma reunião no Conselho de Segurança.

Com a retomada de parte dos serviços de transporte na cidade e arredores, muitos funcionários puderam retornar ao trabalho nesta quinta-feira.

Milhões de lares continuam sem energia elétrica nos estados de Nova York e Nova Jersey.

Nesta semana, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, emitiu uma tarefa para as famílias que se recuperam da tempestade Sandy que atingiu os EUA nesta segunda-feira, 29.

"Limpar e desinfetar tudo o que ficou molhado. A lama que as enchentes deixam podem conter esgoto e produtos químicos", twittou.

Sandy deixou partes de Nova York sem água corrente e em cidades como New Brunswick, New Jersey, os moradores tiveram que ferver a água para o consumo

Fonte: Isaude.net