Saúde Pública
01.11.2012

Pílula substitui preservativo como contraceptivo mais popular entre adolescentes

Relatório do Reino Unido mostra que 41% das meninas com 15 anos optaram pela pílula, enquanto 36% pediram preservativo masculino

Foto: Victor De Jesus/University of Leeds
Tim Straughan do Health and Social Care Information Centre (HSCIC).
Tim Straughan do Health and Social Care Information Centre (HSCIC).

Meninas adolescentes são mais propensas a escolher a pílula do que o preservativo como método preferido de contracepção, de acordo com relatório do Health and Social Care Information Centre (HSCIC) , no Reino Unido.

A pesquisa mostra que 41% das meninas com 15 anos de idade ou menos que frequentavam clínicas o Serviço Nacional de Saúde (NHS) optaram pela pílula, enquanto 36% pediram o preservativo masculino.

Segundo os pesquisadores, o relatório apresenta uma reviravolta em relação ao ano anterior, 2010/11, quando 38% das meninas nessa faixa etária optaram pela pílula em comparação com 42% que escolheram o preservativo masculino.

O estudo revela que mostrou 43 mil adolescentes frequentaram clínicas contraceptivas comunitárias em 2011/12, cerca de 14% da população nessa faixa etária, o que se manteve uma porcentagem similar ao ano de 2011.

A pesquisa também revelou que as clínicas foram usadas por 8% das adolescentes com idades entre 13 a 15 anos e pouco menos de um quarto das mulheres de 16 a 19 anos, na Inglaterra.

Segundo o HSCIC, a pílula oral tem sido o método mais comum de contracepção para todos os grupos etários mais velhos, durante muitos anos, mas é a primeira vez que ela se torna a mais popular forma de contracepção para meninas aos 15 anos de idade.

"O relatório capta a nova maneira com que as mulheres em toda a faixa etária estão a gerir sua saúde reprodutiva", afirma Tim Straughan, do HSCIC.

Clique aqui para ler o relatório na íntegra.

Fonte: Isaude.net