Saúde Pública
31.10.2012

Governador de NY recomenda desinfecção de tudo que ficou sob inundação

Autoridades de saúde alertam para mofo que se desenvolve após alagamentos causados por furacões e representa risco à saúde

Foto: GOV. NY
Governador Andrew M. Cuomo durante conversa para determinar estratégias no contole dos estragos causados pelo Furacão Sandy
Governador Andrew M. Cuomo durante conversa para determinar estratégias no contole dos estragos causados pelo Furacão Sandy

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, emitiu uma tarefa para as famílias que se recuperam da tempestade Sandy que atingiu os EUA nesta segunda-feira, 29.

"Limpar e desinfetar tudo o que ficou molhado. A lama que as enchentes deixam podem conter esgoto e produtos químicos", twittou.

Sandy deixou partes de Nova York sem água corrente e em cidades como New Brunswick, New Jersey, os moradores tiveram que ferver a água para o consumo.

Trabalhadores em Howard County, em Maryland, foram chamados após um rompimento de esgoto causado por queda de energia. O esgoto bruto foi derramado a uma taxa de 2 milhões de litros por hora.

Problemas respiratórios

O New York State Department of Health alertou também que o mofo que se desenvolve nas residências após o alagamento causado por Sandy pode representar risco à saúde e provocar doenças respiratórias.

A supertempestade deixou prédios, calçadões, metrôs e ruas alagadas e fez com que milhares de pessoas abandonassem suas casas devido ao perigo de inundação.

No entanto, uma vez que a água baixou e as pessoas podem voltar para suas casas, as autoridades ressaltam que aquelas que tiveram suas casas invadidas pela água devem estar cientes de outro perigo potencial para a saúde, o mofo.

Segundo os especialistas, uma casa inundada é o ambiente ideal para o desenvolvimento do mofo, uma vez que está úmido e não há material "orgânico" (como forro ou estofamento do tapete de fibras naturais), que permite a germinação de esporos de fungos.

De acordo com a Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA), o mofo pode começar a crescer dentro de 48 horas a partir de quando a inundação ocorreu pela primeira vez.

Os riscos de saúde provenientes da inalação desses esporos de mofo podem provocar sintomas negativos nas pessoas como sinusite, congestão, tosse, problemas respiratórios e irritação dos olhos ou da pele.

As pessoas que já têm doença pulmonar também podem estar em risco de desenvolver infecção fúngica nos pulmões.

O New York State Department of Health também informou que as pessoas que estão imunocomprometidas, como aquelas submetidas a tratamentos de quimioterapia, ou pessoas com HIV / AIDS, também podem estar particularmente em risco de efeitos negativos para a saúde.

Limpeza adequada

A United States Environmental Protection Agency afirma que durante a limpeza da inundação, a qualidade do ar interior na casa pode ser o menor dos problemas.

No entanto, a não remoção de materiais contaminados para reduzir a umidade pode apresentar sérios riscos de saúde a longo prazo. Água parada e materiais molhados são terreno fértil para os microrganismos, como vírus, bactérias e fungos.

A agência fornece um guia apara ajudar as pessoas a limpar suas casas após inundações.

Fonte: Isaude.net