Geral
30.10.2012

Fundador da empresa PIP é colocado em liberdade sob controle judicial

Jean-Claude Mas, 73, passou oito meses na prisão após os implantes de mama de sua empresa apresentarem silicone industrial

O fundador da empresa de próteses mamárias PIP, envolvida em um escândalo sanitário mundial, foi colocado em liberdade sob controle judicial.

Jean-Claude Mas, 73, passou oito meses na prisão, após os implantes de mama de sua empresa se mostrarem propensos a ruptura. Ele deve ir a julgamento em abril de 2013. As informações são da BBC.

A empresa PIP foi fechada em 2010, depois que autoridades sanitárias encontraram gel de silicone industrial impróprio para uso médico. Em janeiro o governo francês pediu a cerca de 30 mil mulheres que tivessem seus implantes removidos após uma série de rupturas.

Estudos mostraram que o silicone utilizado não provocou sérias ameaças de longo prazo para a saúde, mas os produtos PIP foram até duas vezes mais propensos a explodir em comparação com outros implantes.

Cientistas do governo franceses descobriram que os implantes continham os produtos químicos baysilone, silopren e rhodorsil, normalmente utilizados como aditivos de combustíveis ou no fabrico de tubos de borracha industrial.

Segundo as autoridades, Mas já teria confessado a obtenção ilegal do gel de baixo custo, mas nega que os implantes de PIP representavam uma ameaça para a saúde.

O fundador da empresa deixou a custódia, mas foi colocado sob "supervisão judicial", de acordo com seu advogado Yves Haddad. Seu passaporte foi confiscado e ele está proibido de se comunicar com Claude Couty, o ex-direitor da empresa.

Fonte: Isaude.net