Geral
29.10.2012

Mulheres que param de fumar antes dos 30 ganham 10 anos a mais de vida

Pesquisa com 1 milhão de mulheres sugere que aquelas que abandonam o cigarro têm 97% menos risco de morte prematura

Foto: Sergey Peterman/Foto Stock
Pesquisa revela que parar de fumar tem benefícios maiores do que se pensava anteriormente para as mulheres
Pesquisa revela que parar de fumar tem benefícios maiores do que se pensava anteriormente para as mulheres

Mulheres que abandonam o cigarro antes dos 30 anos de idade têm 97% menos risco de morte prematura por doenças causadas pelo vício, de acordo com pesquisa realizada na Universidade de Oxford, no Reino Unido.

O estudo revela que quanto mais tarde a mulher deixou de fumar, no entanto, menor é a taxa de reversão. Os resultados sugerem ainda que mulheres que param de fumar aos 30 anos ganham 10 anos a mais de vida.

Entre 1996 e 2001, a equipe do projeto Million Woman Study, reuniu 1,3 milhão de mulheres que tinham entre 50 e 65 anos na época do ingresso no estudo.

No início do projeto, 20% das mulheres fumavam, 28% tinham abandonado o cigarro e 52% não eram fumantes. Cada uma foi acompanhada por um período de 12 anos.

Análise realizada três anos após o início da pesquisa mostrou que as fumantes tinham quase três vezes mais chances de morrer nos nove anos seguintes comparadas às não fumantes.

Segundo os pesquisadores, isso significa que dois terços de todas as mortes de mulheres fumantes na casa dos 50 aos 70 anos são ocasionados por doenças relacionadas ao tabagismo, como câncer de pulmão, enfermidades pulmonares crônicas, doenças do coração ou derrame cerebral. Ao longo do levantamento, 66 mil participantes morreram.

Os resultados mostraram que as mulheres que abandonam o cigarro na meia idade ganham, em média, 10 anos a mais de vida.

A equipe ressalta que, as principais conclusões são que os riscos do tabagismo para mulheres são maiores do que os estudos anteriores sugeriram, mas também que parar de fumar tem benefícios maiores do que se pensava anteriormente.

Veja mais detalhes sobre esta pesquisa (em inglês).

Fonte: Isaude.net