Geral
24.10.2012

Centro de trauma do idoso do Rio vai usar telemedicina para agilizar atendimento

Tablets com conexão a internet serão distribuídos em sete hospitais estaduais de emergência para auxiliar serviços

Foto: SECOM/RJ
Tablets com conexão a internet distribuídos em sete hospitais estaduais de emergência vão agilizar atendimento.
Tablets com conexão a internet distribuídos em sete hospitais estaduais de emergência vão agilizar atendimento.

Inaugurado nesta segunda-feira (22), no Hospital São Francisco, na Tijuca, o Centro Estadual de Referência do Trauma de Idoso, vai contar com o serviço de telemedicina para agilizar o atendimento na unidade.

Como a cirurgia deve acontecer em até 48 horas da fratura, tablets com conexão a internet distribuídos nos sete hospitais estaduais de emergência e em quatro ambulâncias vão auxiliar nos serviços.

Quando um paciente acima de 60 anos e com quadro de fratura de fêmur proximal der entrada nestas unidades de emergência, há um rígido protocolo que determinará se ele é apto ou não a ser transferido para o CETI e operado. Estas informações serão repassadas para o enfermeiro responsável pelo atendimento nas ambulâncias do CETI via tecnologia de telemedicina e também para a equipe de plantão no Hospital São Francisco, que poderá dar pareceres de maneira remota. Assim, quando o paciente der entrada no Centro de Trauma do Idoso, todas as informações já serão de conhecimento das equipes.

Telemedicina na rede estadual

Segundo informou a Secretaria Estadual de Saúde, profissionais de saúde das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) contarão no início de 2013 com esta nova tecnologia para agilizar e melhorar a qualidade do atendimento à população. O governo estadual já concluiu os testes com telemedicina que permitirá a realização de ações médicas a distância, e selecionará em breve a empresa responsável pelos equipamentos instalados nas unidades de saúde através de licitação.

Nas UPAs, os novos recursos irão atender aos pacientes com AVC, infarto e de pediatria. Com a telemedicina, os médicos das unidades poderão interagir e trocar informações sobre casos especiais através de videoconferência com profissionais das Centrais de Especialistas da Secretaria de Saúde. A tecnologia, que está em teste desde junho, foi utilizada na UPA de Botafogo e aprovada por médicos.

Fonte: Isaude.net