Geral
23.10.2012

Pesquisa desvenda rota para o funcionamento de proteínas no organismo

Parâmetro foi encontrado pela primeira vez; doenças como Alzheimer e Parkinson estão relacionadas ao mau desempenho de proteínas

Com a ajuda de modelos computacionais simplificados, pesquisadores brasileiros consegui ram , pela primeira vez, desvendar uma rota capaz de aumentar a compreensão sobre funcionamento das proteínas no organismo. O trabalho foi desenvolvido no campus de São José do Rio Preto da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e contou com a colaboração de pesquisadores da Universidade Rice, em Houston, e da Academia Chinesa de Ciências.

Os cientistas tentam descobrir como funciona esse processo, chamado de enovelamento de proteínas, há décadas. Ação acontece em questão de segundos ou até de milésimos de segundo.

Além de criar uma ponte entre resultados teóricos e experimentais, o estudo pode ser útil para pesquisadores de diversas áreas, principalmente a da saúde. " Diversas doenças estão relacionadas ao mau funcionamento de proteínas, como Alzheimer, Parkinson, fibrose cística, fenilcetonúria e câncer. Nessas patologias, não há um agente externo e sim o próprio organismo que, por algum motivo, não consegue manter as proteínas em sua estrutura nativa" , disse Vitor Barbanti Pereira Leite, pesquisador responsável.

O enovelamento ocorre para que a proteína possa desempenhar sua função dentro do organismo - seja ela estrutural, enzimática, hormonal, energética, de defesa ou de transporte de nutrientes. Assim, a cadeia de aminoácidos que a compõe precisa se moldar de modo a atingir uma forma tridimensional específica.

Segundo Leite, " estudos feitos nos anos 60 mostraram que, se as proteínas fossem explorar aleatoriamente todas as configurações possíveis até atingir a estrutura nativa, o processo de enovelamento levaria um tempo equivalente à idade do Universo" , afirma.

Ainda de acordo com o pesquisador, já se sabia que toda a informação necessária para que o enovelamento ocorresse estava contida na própria sequência de aminoácidos, uma vez que o processo foi passível de ser reproduzido em tubo de ensaio, sem a influência de fatores biológicos. Surgiu então a hipótese de que haveria uma rota que facilitasse a chegada a esse estado funcional.

Veja o artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

Com informações da Fapesp

Fonte: Isaude.net