Foto Saúde
21.10.2012

Maternidade afegã bombardeada após inauguração retoma atividades

Assistência médica na província de Khost havia sido suspensa após uma explosão no hospital, em abril de 2012

Foto: HIlde Cortier/MSF
Bebês na maternidade da província de Khost. Atendimento foi suspenso após uma explosão no hospital, em abril de 2012.
Bebês na maternidade da província de Khost. Atendimento foi suspenso após uma explosão no hospital, em abril de 2012.

As atividades médicas em uma maternidade na província de Khost, no Afeganistão, que haviam sido suspensas após uma explosão no hospital, em abril de 2012, serão retomadas. A decisão foi anunciada, nesta semana, pela organização humanitária independente Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Em abril, uma bomba explodiu dentro da maternidade, ferindo sete pessoas. O ataque aconteceu seis semanas depois de MSF inaugurar a unidade, onde, até então, 600 mulheres haviam tido seus filhos.

" As circunstâncias atuais tornam possível para nossas equipes em Khost retomarem as atividades, levando cuidados médicos gratuitos e de alta qualidade para gestantes, especialmente àquelas que não podem pagar por tratamento e àquelas que têm complicações durante a gravidez e o parto" , conta Benoit De Gryse, representante de MSF no Afeganistão.

Para reabrir o hospital antes do final do ano, será necessário um esforço logístico de toda a equipe nacional - que é formada exclusivamente por mulheres. Parteiras e enfermeiras serão recrutadas para atuar em conjunto com colegas estrangeiras. Tais profissionais são essenciais para a retomada de serviços médicos de qualidade no hospital.

Ainda de acordo com a MSF, o apoio da comunidade e respeito à integridade e segurança dos pacientes, além de instalações de saúde e equipes médicas, fazem com que seja possível para MSF trabalhar em três outras regiões do país.

Fonte: Isaude.net