Geral
14.10.2012

Cientistas geram tecido funcional da tireoide a partir de células-tronco

Técnica testada em ratos pode permitir tratamento de pacientes humanos que sofrem de deficiência de hormônios da tireoide

Cientistas da Université Libre de Bruxelles, na Bélgica, conseguiram gerar, pela primeira vez, tecido funcional da tireoide a partir de células-tronco em ratos.

O estudo, publicado na revista Nature, mostra que a técnica pode permitir o tratamento de pacientes que sofrem de deficiência de hormônio da tireoide, provocado por um defeito na função, ou pelo desenvolvimento anormal da glândula tireoide.

Tireoide

Os hormônios da tireoide consistem em uma classe de moléculas que contêm iodeto, que desempenha um papel crítico na regulação de diferentes funções do corpo, incluindo metabolismo, crescimento e função cardíaca e que são cruciais para o desenvolvimento normal do cérebro.

A glândula tireoide, órgão endócrino especializado na captura de iodeto, é o único órgão onde ocorre a produção destes hormônios. No entanto, um em cada 3 mil recém-nascidos nasce com hipotireoidismo congênito, uma doença caracterizada pela produção insuficiente de hormônios da tireoide.

Bebês que nascem com esse tipo de deficiência hormonal devem receber tratamento logo nos primeiros dias de vida, para que a doença não se desenvolva. Caso contrário, seus danos serão irreversíveis. Além disso, é necessário um tratamento hormonal ao longo da vida, para que seja mantida a regulação adequada do crescimento e do metabolismo em geral.

Ao realizar experimentos em que dois genes importantes foram temporariamente induzidos a funcionar como células-tronco indiferenciadas, os investigadores foram capazes de manipular a diferenciação de células estaminais em tireócitos, tipo de célula primária responsável pela produção de hormônios na glândula da tireoide.

A primeira constatação interessante desses estudos foi o desenvolvimento de tecido tireoidiano funcional já dentro das placas de cultura. Em seguida, a equipe transplantou os tireócitos derivados de células-tronco em camundongos sem uma glândula tireoide funcional.

Quatro semanas após o procedimento, os pesquisadores observaram que os ratos transplantados haviam restabelecido os níveis normais de hormônios tireoidianos no sangue e não apresentaram mais os sintomas associados com a deficiência de hormônios da tireoide.

Os resultados destes estudos com animais têm várias implicações importantes, primeiro, o sistema de célula empregado fornece uma ferramenta vital para melhor caracterizar os processos moleculares associados ao desenvolvimento embrionário da tireoide.

Em segundo lugar, estes resultados obtidos através do transplante podem não só abrir novos horizontes para o tratamento da deficiência da tireoide, mas também para a substituição de tecido da tireoide em pacientes que sofrem de câncer nessa região.

Os investigadores estão trabalhando atualmente no desenvolvimento de uma pesquisa semelhante com base em células-tronco humanas que vai explorar maneiras de gerar tecido tireoidiano humano funcional através de reprogramação de células-tronco pluripotentes (iPS) derivadas de células da própria pele.

Fonte: Isaude.net