Geral
08.10.2012

Terapia mede comunicação entre cérebro e intestino para tratar prisão de ventre

Sistema ajuda os doentes a reaprender o comportamento normal e restabelece a sinalização bidirecional correta

Foto: Georgia Health Sciences University
Dr. Satish S.C. Rao, envolvido no estudo
Dr. Satish S.C. Rao, envolvido no estudo

Cientistas do Georgia Health Sciences University, nos EUA, desenvolveram um novo tratamento para um tipo de prisão de ventre que afeta cerca de 40 milhões de pessoas nos EUA.

A condição, conhecida como evacuação dissinérgica, está ligada a uma má comunicação entre o cérebro e o intestino e vice-versa. O novo sistema de biofeedback ajuda os doentes a reaprender o comportamento normal e restabelece a comunicação correta.

A equipe, liderada por Satish S.C. Rao, realizou um estudo com 150 pacientes. Cerca de um terço desses participantes adquiriram a condição na infância e o restante mais tarde na vida, possivelmente como resultado de períodos prolongados de esforço para defecar. Os pacientes tinham idades entre 5 e 90 anos, mas a maioria tinha de 30 a 55.

Enquanto laxantes e outras alternativas de tratamento funcionem, elas não abordam a questão subjacente. "Estes indivíduos que não defecam de forma eficaz, eles mantêm suas fezes ou empurram suas fezes de volta para o sistema, sem perceber o que estão fazendo", observa Rao, que descobriu essa disfunção 20 anos atrás.

Para contornar o problema de uma forma total, os pesquisadores criaram um sistema de biofeedback que mede a comunicação interrompida entre intestino e cérebro.

Para medir a comunicação intestino-cérebro, eles colocaram uma pequena sonda no reto que envia uma pequena carga elétrica, em seguida, usam eletrodos no couro cabeludo para medir como o cérebro recebe o sinal. Depois, eles geram uma pequena quantidade de energia magnética perto da área do cérebro conhecida por estimular os músculos anais em indivíduos saudáveis, em seguida medem a comunicação cérebro-intestino.

O sistema de biofeedback fornece um feedback instantâneo do que os músculos estão fazendo, então a equipe pode ensinar aos pacientes quando empurrar e quando relaxar.

Eles avaliaram a sinalização bidirecional, antes e após a terapia de biofeedback em 50 pacientes em relação aos controles saudáveis.

Segundo os pesquisadores, a taxa de sucesso do método foi de 85%. O regime atual inclui sessões quinzenais com uma hora de no consultório médico juntamente com sessões de 20 minutos de prática várias vezes por dia durante três meses.

Fonte: Isaude.net